O Governo português condenou, esta segunda-feira, o mais recente teste nuclear realizado pela Coreia do Norte, na madrugada de domingo, considerando que “compromete a segurança regional e internacional” e “constitui mais uma flagrante e inaceitável violação” das resoluções da ONU.

“O Governo português condena veementemente a realização de um novo teste nuclear pela República Popular Democrática da Coreia, o qual constitui mais uma flagrante e inaceitável violação das obrigações definidas em diversas resoluções do Conselho de Segurança da ONU e compromete a segurança regional e internacional”, indicou o governo português numa nota enviada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros.

A 29 de agosto, o Governo português já tinha condenado, nos mesmos termos, o lançamento de um míssil balístico por parte da Coreia do Norte.

No comunicado de hoje, o executivo português reiterou “o seu empenho no rigoroso cumprimento das sanções unanimemente impostas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas e pela União Europeia à República Popular Democrática da Coreia”.

Assim, exortou “novamente” a Coreia do Norte “a retomar um diálogo sério com a comunidade internacional”, no sentido de “um abandono completo, verificável e irreversível dos seus programas balístico e nuclear, que desafiam os regimes internacionais de não proliferação e desarmamento, colocando em risco a paz e a estabilidade regionais e mundiais”.

A Coreia do Norte testou no domingo a sua bomba nuclear mais potente até à data, um artefacto termonuclear que segundo o regime de Pyongyang pode ser instalado num míssil intercontinental.

Estados Unidos prometem “resposta militar maciça” a ameaças da Coreia do Norte

A comunidade internacional condenou unanimemente o novo desenvolvimento de armamento norte-coreano. Seul e Tóquio pediram mais sanções ao regime de Kim Jong-un.

O Presidente norte-americano disse estar a avaliar a possibilidade de suspender comércio com qualquer país que tenha negócios com Pyongyang e insinuou que não descarta um ataque à Coreia do Norte.

O Conselho de Segurança da ONU prevê reunir-se hoje com o objetivo de analisar o novo teste nuclear norte-coreano.