Em ano de eleições autárquicas, o Observador convidou os leitores a enviarem, através deste formulário, denúncias relativas a promessas dos seus presidentes de câmara que ficaram por cumprir. Das centenas de informações que nos continuam a chegar, escolhemos as mais relevantes e publicamos, até às eleições, os resultados.

Onde?

Município de Trancoso (distrito da Guarda). Com perto de 10 mil habitantes, o concelho divide-se em 21 freguesias.

Quem?

Amílcar Salvador, presidente da Câmara Municipal de Trancoso eleito pelo PS em 2013. É o primeiro presidente de câmara socialista na autarquia de Trancoso e este ano recandidata-se para um segundo mandato.

Cartaz de campanha de Amílcar Salvador, que este ano se recandidata à presidência da câmara de Trancoso (Fotografia: Facebook Amílcar Salvador 2017)

Qual foi a promessa?

Requalificar a Barragem da Teja, sobretudo no que diz respeito à construção de infraestruturas como balneários e outras obras que permitam utilizar a barragem para acolher eventos desportivos e recreativos. A proposta foi expressada numa entrevista à Antena 1 em dezembro de 2013, poucos meses depois da sua eleição. Nessa entrevista, que pode ser ouvida aqui, Amílcar Salvador diz:

A barragem da Teja tem já neste momento cerca de 17, 18 anos, portanto, creio que terá sido concluída ali em 1995, 1996. É uma mais valia para o concelho e podia ser um polo de atração, em termos desportivos, de canoagem… Vai ser. Há quase 20 anos que temos aquela barragem e houve de certa forma algum desleixo da autarquia no sentido de não conseguir fazer as obras necessárias. Está nos planos da câmara, no plano de pormenor que iremos fazer da Barragem da Teja, no sentido de criar ali algumas infraestruturas: balneários, arranjo das margens, por forma a que esses eventos desportivos, como pesca desportiva, respeitando condições de segurança, possam ser uma atração grande para Trancoso.”

Qual é o ponto de situação?

A zona envolvente da Barragem da Teja continua em mau estado de conservação e sem condições para a realização das referidas atividades desportivas. A vegetação continua a crescer desgovernadamente em torno dos acessos à barragem e as infraestruturas não foram construídas. A única estrutura que existe no local é um pequeno cais, mas que está vedado ao público, como comprovam estas fotografias enviadas ao Observador por um munícipe:

8 fotos

Uma pesquisa pelas atas da Câmara Municipal de Trancoso entre 2013 e 2017 permite identificar duas referências distintas a investimentos na Barragem da Teja: a primeira, relativa à ampliação da rede de baixa tensão na zona da Barragem da Teja, em dezembro de 2013; e a segunda, em dezembro de 2014 (com novas referências em maio e julho de 2015) relativa a um novo investimento na rede elétrica da barragem.

Qual a justificação da autarquia?

Contactada pelo Observador, por email e por telefone, a Câmara Municipal de Trancoso não se mostrou disponível para responder às questões enviadas: o que já foi feito na Barragem da Teja e quais os planos existentes no município para requalificação da barragem. Quatro dias depois do envio das questões, o gabinete do presidente da autarquia contactou o Observador para informar que “por indisponibilidade de agenda”, Amílcar Salvador não poderia responder às perguntas.