Obrigado por ser nosso assinante. Pode ler este e todos os artigos do Observador em qualquer dispositivo.

Actualmente um dos modelos de maior sucesso na oferta da marca do losango, o Renault Captur deverá vir a ter companhia, dentro de cerca de dois anos. Isto porque, segundo avança a Automotive News Europe, o fabricante francês está já a preparar um segundo modelo do mesmo género, cuja comercialização deverá arrancar, lado a lado com o Captur, em 2019.

Ainda segundo apurou a mesma publicação junto do espanhol Rafael Vasquez, director da fábrica que a Renault possui em Valladolid, Espanha, o novo modelo será construído na mesma linha de montagem do Captur. Com este responsável a confirmar que, tal como o Captur, o novo modelo “será uma proposta para o segmento SUV-B”.

O futuro crossover subcompacto pode vir a ser uma variante maior do Captur, uma espécie de Grand Captur. Solução que seria, no fundo, o replicar de algo que a marca francesa já fez, com sucesso, noutras propostas, como é o caso do Scénic e do Grand Scénic.

Desde 35.440€. Chegou o novo Grand Scénic (para sete)

Recorde-se que a Renault anunciou, ainda em 2016, a intenção de investir mais de 600 milhões de euros na fábrica de Valladolid, onde também já produz o eléctrico Twizy, com o objectivo de aí produzir não apenas um novo modelo, como também uma nova variante do já conhecido quatro cilindros 1,5 litros a gasóleo. Este último, numa linha de produção adjacente, com uma fundição para fabrico do bloco do motor em alumínio.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Vasquez revelou que, graças a estes investimentos, a linha de montagem será aumentada, embora tudo aponte para que a produção se mantenha nos níveis exibidos até aqui, ou seja, a rondar os 250 mil carros/ano. Informação que deixa a ideia de que o novo modelo poderá vir a captar algumas das vendas do Captur.

7 novidades que deve conhecer sobre o novo Captur

Captur, um caso de sucesso

Recentemente renovado, o Renault Captur continua a ser um caso de sucesso na oferta da marca francesa, mantendo-se, na primeira metade de 2017 e segundo os números mais recentes da empresa de estudos de mercado JATO Dynamics, como o modelo do respectivo segmento mais vendido na Europa. Segmento cujas vendas, acrescente-se, têm vindo a crescer mais de um milhão de unidades por ano, levando a que cada vez mais construtores queiram estar devidamente representados.

Com a decisão de lançar um novo modelo deste tipo, a Renault procura também combater rivais como a Opel, que já comercializa dois produtos destinados a um mesmo segmento, o Mokka X e o mais recente Crossland X. O mesmo caminho promete vir a ser seguido por outros fabricantes, como a Citroën, Seat, Hyundai ou a Kia.