O emir do Qatar acusou explicitamente os quatro países que desencadearam o bloqueio económico e político contra Doha de tentarem derrubar o seu regime, numa entrevista à cadeia televisiva norte-americana CBS, transmitida no domingo.

“Eles querem uma mudança de regime. Isso é evidente”, declarou o emir, xeque Tamin ben Hamad al-Thani, ao programa “60 Minutos”.

“A história ensina-nos que eles já tentaram, em 1996, quando o meu pai se tornou emir. E, nestas últimas semanas, eles recomeçaram de forma evidente”, afirmou.

Em 5 de junho, Arábia Saudita, Bahrain, Emirados Árabes Unidos e Egito romperam as relações diplomáticas com o Qatar, acusando o país vizinho de apoio ao terrorismo, desestabilização da região e aproximação ao Irão.

Os quatro países impuseram ainda severas sanções económicas (interrupção das ligações aéreas, terrestres e marítimas), desencadeando a mais grave crise regional desde a guerra do Golfo de 1991.

Até hoje, Doha não tinha acusado explicitamente os vizinhos de tentativa de mudança de regime.

No entanto, nas últimas semanas, afirmou o emir à CBS, “eles dizem nos ‘media’ que o regime devia ser mais aceitável para os seus vizinhos”.

“Eles querem dizer que nós devíamos segui-los, em vez de sermos independentes. É isto que eles querem dizer, é isto que eles pretendem”, insistiu.