A NASA divulgou novas imagens aéreas de um iceberg de 5.800 quilómetros quadrados, mais conhecido por A68. Esta massa de gelo flutuante desprendeu-se em julho, quando ocorreu uma das maiores desintegrações da plataforma Larsen C, que se estende ao longo da costa leste da Península Antártica. Foi após um longo tempo de monitorização que o bloco de gelo se separou, deslocando-se agora mar adentro, segundo a publicação da ABC.

A Plataforma Larsen C em detalhe.

Com um aumento da luz solar nesta altura do ano, a agência espacial tem realizado voos de reconhecimento, que integram a missão IceBridge, que utiliza o gelo polar da Terra para melhor compreender as conexões entre as regiões polares e o sistema climático a nível global. Esta missão tem também como objetivo estudar as mudanças anuais na espessura do gelo marinho e dos lençóis de gelo.

As fotografias agora lançadas no Twitter da NASA vêm corroborar as observações já feitas anteriormente: uma grande fenda foi aberta entre a costa delimitada por Larsen C e o iceberg A68. Percorra a fotogaleria para ver as imagens aéreas divulgadas.

As placas de gelo da Antártida são enormes extensões flutuantes que rodeiam o continente, portanto é normal que alguns frag,entos de gelo se libertem, formando pequenos icebergs. Contudo, as dimensões do A68 são preocupantes, uma vez que a água que contém é suficiente para aumentar o nível das águas do mar em 3 milímetros, segundo a Gizmodo.