Modelo de entrada na oferta da marca de Gaydon, o Aston Martin Vantage acaba de ser revelado na sua mais recente geração. Surge com um aspecto mais jovem e desafiante, profundamente renovado, a procurar garantir novos e mais jovens clientes, para o construtor britânico. Aliciados, entre outros factores, por uma capacidade de aceleração que permite ao desportivo inglês ir dos 0 aos 100 km/h em 3,6 segundos.

Marcado por uma nova frente onde sobressaem as ópticas a evocar os faróis do DB10 conduzido por James Bond no filme “Spectre”, e uma nova grelha com moldura proeminente e interior em malha ( que pode variar consoante o gosto do clientes e a versão escolhida), o novo Vantage é 9 cm mais comprido (4,4 m) que o seu antecessor e 7 cm mais largo. Isto, além de oferecer mais 25 cm de distância entre eixos (2,7 m) do que, por exemplo, o rival directo Porsche 911.

Mantendo a já conhecida arquitectura com motor à frente, em posição longitudinal, e tracção traseira, este Aston Martin prima ainda por linhas fortes e musculadas, a par de um spoiler dianteiro, saias laterais e um spoiler e difusor traseiros. Elementos que lhe conferem um aspecto bastante mais jovem, e até irreverente, que o mais estatutário DB11, por exemplo.

20 fotos

No interior domina a sensação de desportividade, mas também de luxo, resultado dos materiais de elevada qualidade, a que não faltam sequer as possibilidades de personalização ao gosto do proprietário. Em termos de design, sobressaem os botões da caixa de velocidades dispostos em arco, na base da consola central, assim como um generoso ecrã do sistema de infoentretenimento que mais parece encaixado no tablier, já para não falar no próprio comando rotativo – solução claramente inspirada nos modelos da parceira Mercedes-Benz, responsável também pelo fornecimento do motor deste novo Vantage.

Nesse domínio, os créditos foram entregues a um V8 4,0 litros biturbo, de origem Mercedes-AMG, a debitar 510 cv e 685 Nm de binário. Números que, a par de um peso de não mais 1.530 kg quando a seco (ou seja, sem fluídos), lhe permitem, entre outros argumentos, acelerar dos 0 aos 100 km/h em não mais que 3,6 segundos. Assim como atingir uma velocidade máxima anunciada de 314 km/h, graças também ao apoio de uma caixa automática ZF de oito relações. Sendo que a Aston Martin promete disponibilizar, dentro de aproximadamente um ano, este mesmo Vantage, mas com transmissão manual.

Anunciando consumos na ordem dos 10,5 l/100 km em trajecto combinado e emissões de CO2 de 245 g/km, a Aston Martin promete igualmente uma experiência de condução melhorada. Resultado de uma distribuição de peso a roçar a perfeição (50/50), mas também fruto do adopção do mesmo chassi em alumínio do DB11, embora com 70% dos componentes novos. Argumentos a que se juntam ainda a novidade do diferencial traseiro electrónico, além de toda uma série de sistemas de auxílio à condução, como o controlo de estabilidade ou a direcção com assistência electrónica em função da velocidade.