Obras dos artistas Vhils, Hazul, Mr. Dheo ou Third podem ser vistas no âmbito do projeto StreetArtCEI, que apresenta cinco rotas de percursos culturais alternativos criadas no Porto e Vila do Conde, anunciou esta terça-feira o Politécnico do Porto.

As rotas do Marquês, Bolhão, Trindade, São Bento e Vila do Conde são os cinco trajetos turísticos de arte urbana no Norte do país e disponíveis ‘online’, onde se podem ver imagens de “manifestações artísticas marginais com visibilidade acessível e elevada qualidade estética. (…) Neste mapa constam artistas como Vhils, Hazul, Mr. Dheo ou Third”, refere o Politécnico do Porto, que lidera o projeto através do Centro de Estudos Interculturais (CEI).

O grande objetivo do projeto StreetArtCEI é democratizar o acesso a esta forma de expressão artística e captar turistas para a descoberta das principais artérias turísticas da região norte, valorizando mesmo economicamente, as manifestações artísticas que as cidades oferecem, tanto a visitantes como a habitantes”, explica o Politécnico do Porto.

As imagens foram selecionadas e georreferenciadas, gerando um mapeamento que demonstra os padrões de recorrência espacial dessas manifestações artísticas.

“Sobrepomos esse mapeamento às disponibilidades de acesso, transporte e infraestruturas urbanas e à duração de um hipotético percurso pedestre”, explica Clara Sarmento, investigadora líder deste projeto.

O projeto prevê, numa segunda fase, identificar mais rotas turísticas de arte de rua, abrangendo Braga, Aveiro e Ovar, com ligação a rotas semelhantes no Sul, nomeadamente na Grande Lisboa.

O StreetArtCEI é uma ‘spin-off’ (empresa nova criada para explorar produtos ou serviços tecnológicos ou inovadores, concebida a partir de um grupo de pesquisa ou centro de investigação), do projeto “TheRoute — Tourism and Heritage Routes including Ambient Intelligence with Visitants’ Profile Adaptation and Context Awareness”, liderado pelo Politécnico do Porto.