Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Coreia do Norte é, muito provavelmente, o país mais misterioso do mundo. Poucos estrangeiros a conhecem e aqueles que tiveram a chance de entrar no país asiático não puderam tirar fotografias nem escrever sobre o que viram – pelo menos, não legalmente. Tudo o que sabemos é através de testemunhos destemidos ou daquilo que o regime de Kim Jong-un nos deixa saber.

Sabemos o território que a Coreia do Norte ocupa devido aos mapas mundiais, mas a topografia do país também é ainda um mistério. As fronteiras – a norte com a China e a sul com a Coreia do Sul – são fortemente militarizadas e vigiadas para impedir qualquer tentativa de fuga. Mas existe uma outra: na ponta este da Coreia do Norte, há uma ligação quase desconhecida com a Rússia. O pequeno e completamente desconhecido troço não tem mais do que 17 quilómetros de largura.

O El Español conta que os dois países são separados naturalmente pelo leito do rio Tumen e estão unidos pela “Ponte da Amizade”, por onde passa uma linha ferroviária. Ao contrário da China – que não autorizou filmagens das câmaras da Google na fronteira, a Rússia permitiu o acesso do Google Street View e agora podemos passear na fronteira mais misteriosa do mundo através de um computador ou de um telemóvel.

Segundo o Financial Times, a Linenaya Ulitsa – o caminho de terra batida até chegar à Ponte da Amizade – é a via mais utilizada pelos norte-coreanos que tentam fugir do país. As imagens, recolhidas em 2013, mostram um troço rodeado de muita vegetação mas não é possível avistar qualquer casa ou pessoa. Quase no fim do trajeto, estão duas colunas – semelhantes às da arquitetura chinesa – e a última imagem do Google Street View mostra uma pequena cabana.

Veja a fotogaleria com as imagens da Google da fronteira entre a Coreia do Norte e a Rússia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR