Horas depois de o Observador ter dado conta de que o PSD se tinha esquecido de retirar uma fotografia do site onde Pedro Passos Coelho ainda convidava os interessados a juntarem-se ao partido, o erro — ou o esquecimento — já foi corrigido. Onde antes estava Passos, agora não está ninguém. E até a referência a José Matos Rosa, anterior secretário-geral do PSD, desapareceu.

Quem esta segunda-feira de manhã consultasse o site do partido, ainda podia encontrar a figura de Passos Coelho a apelar à filiação no PSD, ao lado de um encorajador e confiante “Junte-se a nós”. Caso para dizer que os sociais-democratas se tinham despedido de Passos na sexta-feira, primeiro dia do 37º Congresso do PSD, mas a impressão digital do ex-primeiro ainda não tinha, literalmente, desaparecido.

Como explicava o Observador, poderia ter-se dado o caso de os gestores da página do PSD serem pouco atentos à atividade do partido. Mas nem isso. Esta manhã, o vídeo da intervenção de Rui Rio no domingo, durante a sessão de encerramento do Congresso do PSD, já figurava no topo da página, em lugar destacadíssimo.

A sequência era esta: primeiro Rio…

… e, logo abaixo, Pedro Passos Coelho, a apelar à inscrição de militantes no partido.

Não era o único sinal de outros tempos. Quem carregasse no “Saiba Mais” que acompanhava a imagem, os utilizadores eram reencaminhados para uma outra página carregada onde estava um texto de boas-vindas assinado por José Matos Rosa, que era, até domingo, formalmente o secretário-geral do PSD e responsável pela organização do partido. A transição de pastas já se tinha dado — Feliciano Barreiras Duarte é agora o homem do aparelho social-democrata — mas a página do partido ainda não refletia essa realidade.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Seria uma questão de tempo, antecipava o Observador. Nem mais. Ao final da tarde, os resquícios de Pedro Passos Coelho e de José Matos Rosa já tinham desaparecido da página principal do PSD. Agora, no lugar de Passos já não está ninguém e o texto, apesar de ser precisamente o mesmo, já não é assinado por José Matos Rosa — nem por ninguém, na verdade.

Eis a nova versão da página do PSD:

E o texto de boas vindas, exatamente igual ao anterior, mas agora já sem a assinatura de José Matos Rosa.