As autoridades alfandegárias de Seine-et-Marne, nos arredores de Paris, encontraram uma pintura do século XIX de Edgar Degas no porão de um autocarro de longo curso, dentro de uma mala, aquando de buscas de segurança aleatórias. O quadro tinha sido roubado do Museu Cantini, em Marselha, em 2009. Os especialistas do Museu d’Orsay já confirmaram a autenticidade da obra encontrada.

A descoberta ocorreu esta sexta-feira, quando os agentes de autoridade procederam a uma busca rotineira relacionada com tráfico de droga, durante uma das paragens na viagem. Numa das malas, foi encontrada “uma obra com a assinatura ‘Degas’, da qual nenhum dos passageiros foi identificado como proprietário”, explicaram as autoridades ao jornal Le Monde. De acordo com a polícia aduaneira, não tinha sido recebida qualquer informação e a descoberta foi completamente espontânea. Ninguém foi detido, mas a investigação prossegue.

O quadro foi então enviado para o Museu d’Orsay, que confirmou a autenticidade da obra e reconheceu estar em bom estado: “Os primeiros elementos da experiência podem fazer-nos concluir que este é realmente a obra procurada”, explicou o ministério da Cultura. Na sua conta de Twitter, o museu disse ter-se regozijado com a descoberta.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

À Associated Press, o responsável do Museu, Laurence des Cars, disse que a descoberta foi “um alívio”. “Não ouvíamos falar do quadro desde 2009 e tínhamos todas as razões para estarmos preocupado com o seu paradeiro”, declarou. A pintura “Os Coristas”, originalmente do Orsay, foi emprestado ao museu Cantini, em Marselha, em 2009, para uma exposição. Acabaria por ser roubado a 31 de dezembro desse ano, sem vestígios de invasão do Museu. O procurador de Marselha concluiu à altura, relembra o Le Monde, que o quadro deverá ter sido desenroscado da parede e “facilmente escondido”, devido às suas pequenas dimensões (32x27cm).

A pintura em pastel, de 1877, é um “monótipo, um processo entre a pintura e a gravura” e retrata cantores da ópera Don Giovanni, de acordo com informações dadas por Degas ao amigo Danuel Halévy. À altura do roubo, estava avaliada em cerca de 800 mil euros. “O seu desaparecimento foi uma grande perda para a herança impressionista francesa”, declarou a ministra da Cultura, Françoise Nyssen. “Os Coristas” regressam agora ao Muse d’Orsay, mesmo a tempo de participar na grande exposição “Degas na Ópera”, prevista para 2019.