A Rússia pediu este domingo aos países que apoiam a oposição síria que exerçam a sua influência para garantir o cumprimento da resolução da ONU, adotada na noite de sábado, que pede um cessar-fogo de 30 dias.

“Confiamos que os apoiantes estrangeiros dos grupos armados (da oposição) façam por fim o seu dever e garantam o cessar das atividades militares dos seus apoiados, para que o trânsito de comboios humanitários se faça o mais rápido e seguro possível”, assinalou um comunicado difundido pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros russo.

Forças do Governo sírio retomam bombardeamentos em Ghouta Oriental

O comunicado da Diplomacia russa surge na sequência de bombardeamentos registados em Ghouta Oriental já depois de o Conselho de Segurança das Nações Unidas ter aprovado a resolução que determina um cessar-fogo de 30 dias.

ONU. Conselho de Segurança aprova cessar-fogo temporário na Síria

Os 15 membros do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovaram, no sábado, por unanimidade uma resolução que prevê um cessar-fogo humanitário de um mês, na Síria.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A trégua autoriza, no entanto, que continuem as operações militares contra grupos considerados terroristas pelas Nações Unidas, incluindo o Estado Islâmico e a Frente Al-Nusra.

O objetivo, segundo a resolução elaborada pelo Kuwait e pela Suécia, é “permitir a entrega regular de ajuda humanitária, serviços e a retirada de doentes e de feridos mais graves”.

A nota do Ministério russo, no entanto, não faz referência aos bombardeamentos contra Ghouta Oriental, nas proximidades de Damasco, que lançaram as forças governamentais sírias pouco depois de aprovada a resolução do Conselho de Segurança da ONU.