Rádio Observador

Stephen Hawking

Robert, Lucy e Timothy. Quem são os herdeiros de Stephen Hawking?

262

Robert, Lucy e Timothy são os três filhos do físico britânico e herdam agora o seu legado. "Lembrem-se de olhar para cima, para as estrelas, e nunca para os pés", disse Hawking em 2010

AFP/Getty Images

Os médicos deram-lhe dois anos, ele viveu mais 55. Em 1963, Stephen Hawking foi diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica e as possibilidades de viver além da previsão feita pelos médicos eram muito baixas. Mas aquele que é um dos cientistas físicos mais mediáticos de sempre desafiou-as e resistiu mais de meio século. Morreu na semana passada, aos 76 anos. O anúncio foi feito pelos três filhos,que vão agora herdar o legado do pai.

Mas quem são, afinal, os herdeiros de Stephen Hawking? O filho mais velho é Robert. Nasceu em 1967, dois anos depois do casamento dos pais, Stephen e Jane e desde cedo que teve que ajudar a mãe a cuidar do pai. Quando era mais novo chegou a mostrar interesse pela ciência e tudo parecia indicar que iria seguir os passos do pai. Tal não se confirmou e Robert acabou por estudar informática na Universidade de Oxford. Atualmente é engenheiro informático na Microsoft em Seattle, onde vive com a mulher e com os filhos. É o mais reservado dos irmãos Hawking mas chegou a participar no famoso ‘Ice Bucket Challenge”, que pretendia ajudar doentes com esclerose lateral amiotrófica.

A filha do meio é Lucy. Estudou jornalismo mas nunca chegou a exercer a profissão de uma forma efetiva, apesar de ter colaborado com jornais como o The Guardian, The Telegraph, The Times e Daily Mail. Dedicou-se ao ensino da ciência e, juntamente com o pai, escreveu livros com o objectivo de familiarizar as crianças com a ciência. O que teve mais sucesso foi A Chave Secreta para o Universoque foi traduzido para 38 idiomas. o livro fala da história de um rapaz que usa um portal gerado por computador para conseguir viajar pelo sistema solar. “Quando estava a ler um dos rascunhos [do livro] ao meu pai ele riu-se tanto que saltou da cadeira. Duas das cuidadoras tiveram que agarrar nele e voltar a sentá-lo”, contou Lucy numa entrevista.

Esta colaboração com Stepehen Hawking ajudou a fortalecer a ligação entre pai e filha, como Lucy reconheceu:

Foi maravilhoso para os dois. Sei que ele nunca esperou trabalhar profissionalmente com nenhum dos filhos e muito menos comigo, porque sempre estive mais encaminhada para as disciplinas mais artísticas. Sei que é algo que o deixou muito contente”

Em 1995 teve início uma das fases mais complicadas da vida de Lucy, quando o pai se casou com Elaine Mason. Aquela que tinha sido a enfermeira de Stephen Hawking foi acusada de maltratar o físico britânico e a filha foi uma das pessoas que mais tentou defender o pai durante este período. Atualmente é vice-presidente do National Star College, uma instituição destinada a ajudar pessoas com deficiência.

Stephen Hawking e a filha Lucy Hawking na Universidade George Washington, em 2008

O mais novo dos filhos de Stephen Hawking é Timothy. Nasceu numa altura em que a relação dos pais já estava no fim e os primeiros anos de convívio com o pai não foram fáceis porque na altura havia a dúvida de se seria filho de Stephen ou do segundo marido de Jane Wilde, Jonathan Hellyer. Tim parece ter herdado o sentido de humor do pai e chegou a dizer que a relação entre os dois começou a melhorar quando Stephen Hawking deixou de conseguir falar. A partir daí, os dois começaram a partilhar interesses, como Fórmula 1 e xadrez. Timothy estudou francês e espanhol na Universidade de Exeter, trabalha atualmente na Lego e chegou a dizer que programou algumas palavras na máquina que o pai tinha que usar para conseguir comunicar.

[Reveja no vídeo alguns dos momentos mais bem humorados de Stephen Hawking]

Numa entrevista em 2010, Stephen Hawking revelou quais “os conselhos mais importantes” que tentou transmitir aos três filhos: “Um: lembrem-se de olhar para cima, para as estrelas, e nunca para os pés. Dois: nunca deixem de trabalhar. O trabalhado dá significado e propósito à tua vida. Três: se tiveres a sorte de encontrar o amor lembra-te de que é algo raro e por isso não o deites fora”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ambiente

Frango à Covan /premium

Paulo Tunhas

Para uma vasta parte da humanidade ocidental, nada há de mais apetecível do que um certo sentimento de culpa própria. Por estranho que pareça, esse sentimento comporta um notório benefício narcísico. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)