Vão ser criadas “salas de chuto” no Lumiar, no antigo Casal Ventoso e na zona ocidental de Lisboa, avança a TSF. A informação foi dada por Ricardo Robles que assegurou que os novos equipamentos não são meras “salas de consumo assistido”, mas também “respostas sociais”.

O vereador dos Direitos Sociais da Câmara Municipal de Lisboa, que considera a medida essencial, garantiu que as “salas de chuto” vão ficar nos locais onde o consumo de drogas já acontece e que não se pretende “levar consumo para onde ele não existe” — “Vamos dar resposta onde esse problema existe e onde carece de soluções”, afirmou.

Em declarações à TSF, o vereador disse que nas salas de consumo assistido vai haver “cuidados de enfermagem, apoio alimentar, serviços de higiene, apoio social e psicológico e rastreio de infeções transmissíveis”, um apoio que é “muito difícil” de prestar na rua.

Ricardo Robles considera que as “respostas têm de ser dadas nos locais onde os consumos acontecem”, razão pela qual foram identificadas as zonas da Alta de Lisboa (Lumiar), Vale de Alcântara (antigo Casal ventoso) e zona ocidental de Lisboa. Nesta última estará uma equipa móvel, enquanto nas outras poderão ser consideradas postos fixos.