O número de declarações de IRS entregues até às 13 horas desta terça-feira ultrapassa já as 452 mil, segundo números divulgados no Parlamento pelo ministro das Finanças. Mário Centeno adiantou que neste universo 265 mil declarações chegaram através do IRS automático (mecanismo em que a declaração é pré-preenchida pela administração tributária).

Mário Centeno, que está a ser ouvido na comissão de orçamento e finanças, adiantou ainda que até à meia noite de segunda-feira, primeiro dia útil da campanha do IRS do ano passado, tinham sido entregues mais 20% de declarações do que em igual período do ano passado. Esta forte subida nas declarações entregues nos primeiros dias terá contribuído para os problemas de acesso ao portal das Finanças que têm sido reportados. Para a maior celeridade neste processo, também terá pesado o compromisso das Finanças de acelerar o pagamento dos reembolsos para quem entregar a declaração mais cedo.

IRS. Sistema informático com falhas nas primeiras 48 horas

O ministro sublinha ainda a desmaterialização e o alargamento do IRS automático para 60% dos agregados. No primeiro ano, este mecanismo foi usado por 800 mil contribuintes, num universo potencial de 1,8 milhões. Este ano a medida vai abranger um universo potencial de três milhões de contribuintes, incluindo os que têm dependentes e os que declaram donativos fiscais.