Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Penélope Cruz e Antonio Banderas vão marcar presença no novo filme do realizador espanhol Pedro Almodóvar. “Dor e Gloria”, a 21.ª longa-metragem do realizador conta com Antonio Banderas como protagonista, assim como Asier Etxeandía, e com Penélope Cruz e Julieta Serrano como atrizes secundárias. Um quarteto de atores que em ocasiões anteriores já colaborou com o realizador, adianta o El País.

Neste novo filme, Almodóvar retoma o tema da criação artística, em especial a criação cinematográfica, a que se tem dedicado desde 1987, como por exemplo com o filme “A Lei do Desejo”.

O El País sublinha que Almodóvar e Banderas são um “duo de ferro”, e que o ator já participou em sete filmes do realizador. Há uns anos, Banderas chegou a dizer que Almodóvar estava em “cima de tudo”. “Em cima das cores, das paredes, da roupa que usariam os atores, os penteados, a maquilhagem, absolutamente tudo. É muito divertido mas também muito duro”, cita o mesmo jornal.

Sobre o legado que deixa no cinema, Almodóvar não tem dúvidas. “Sou muito consciente do passar do tempo e do que isso implica. Começo a sentir o medo de esta ser a minha última vez em Cannes, de este ser o meu último filme, de esta ser a última vez que falo com a imprensa.

O realizador espanhol já anunciou o argumento do novo filme. “Conta a história de uma série de reencontros, alguns físicos e outros recordados depois de décadas, de um diretor de cinema em declínio. Os primeiros amores, os segundos amores, a mãe, a mortalidade, um ator com quem o diretor trabalhou, os anos 60, os 80, a atualidade e o vazio, o incomensurável vazio face à possibilidade de continuar a gravar. Fala da criação, cinematográfica e teatral e da dificuldade de separar a criação da própria vida”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR