Millennium Estoril Open

João contra Pedro. O duelo de ‘Sousas’ no terceiro dia do Estoril Open

Encontro da segunda ronda entre os dois portugueses é o ponto alto do terceiro dia do Estoril Open. Vencedor qualifica-se para os quartos-de-final da competição.

JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O embate da segunda ronda entre os portugueses João Sousa e Pedro Sousa no Court Central é o ponto alto do terceiro dia do Estoril Open em ténis e coloca em jogo uma vaga nos quartos de final do torneio. Depois de vencer pela primeira vez um encontro no quadro principal de singulares, João Sousa, 68.º do ‘ranking’ mundial, parte como favorito para o jogo com o rival lisboeta, 143.º, tendo em conta o historial entre ambos: três vitórias para o vimaranense, mas sempre em jogos fora do circuito principal ATP.

O número um nacional chega a esta fase no rescaldo do triunfo desta terça-feira sobre o oitavo cabeça de série, o russo Daniil Medvedev, enquanto Pedro Sousa venceu na segunda-feira o francês Gilles Simon. Os dois são os únicos representantes portugueses em prova entre os singulares, face às eliminações de Gastão Elias, Frederico Silva e João Domingues. Além do encontro em singulares, João Sousa tem também um jogo agendado na variante de pares ao lado do argentino Leonardo Mayer e no qual vão defrontar a dupla constituída por Ariel Behar (Uruguai) e Miguel Angel Reyes-Varela (México). Este será um dos cinco jogos de pares agendados para esta quarta-feira.

Contudo, o encontro com honras de abertura do Court Central a partir das 13h00 será disputado entre o britânico Kyle Edmund, terceiro cabeça de série, e o ‘wild card’ australiano Alex De Minaur, ‘carrasco’ de Gastão Elias na ronda inaugural da competição. A completar o leque de encontros de singulares estão as partidas que opõem o norte-americano Frances Tiafoe ao luxemburguês Gilles Muller, quarto cabeça de série, e entre Federico Delbonis (Argentina) e Simone Bolelli (Itália), que se disputam já em ronda noturna no Clube de Ténis do Estoril.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PCP

Patrão santo, funcionário posto fora da loja /premium

José Diogo Quintela

Estou chocado. Nunca pensei que o PCP não cumprisse a lei laboral. Mas o PCP está ainda mais chocado: nunca pensou ser obrigado a cumprir a lei laboral. É que escrevê-la é uma coisa, obedecê-la outra.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)