A percentagem de jovens que não trabalham nem estudam recuou, no primeiro trimestre, para o valor de há dez anos na União Europeia (UE), com a zona euro e Portugal a acompanharem a tendência, estima esta quinta-feira o Eurostat.

De acordo com uma estimativa do gabinete de estatísticas da UE, nos primeiros três meses de 2018, a taxa de jovens entre os 15 e os 24 anos que não trabalham nem estudam (‘nem-nem’) recuou para os 10,6% nos 28 Estados-membros, quer em termos homólogos (10,9% no primeiro trimestre de 2017), quer face aos 10,8% registados entre outubro e dezembro últimos.

[frames-chart src=”https://s.frames.news/cards/crescimento-na-ue/?locale=pt-PT&static” width=”300px” id=”274″ slug=”crescimento-na-ue” thumbnail-url=”https://s.frames.news/cards/crescimento-na-ue/thumbnail?version=1528472868739&locale=pt-PT&publisher=observador.pt” mce-placeholder=”1″]

Esta percentagem é igual ao valor mínimo registado no primeiro trimestre de 2008, quando atingiu o valor mínimo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na zona euro, estimam-se em 10,8% os jovens ‘nem-nem’, um recuo homólogo (11,0%) e também na variação trimestral (10,9%).

Portugal acompanhou, na variação homóloga, a tendência em baixa (9,2% entre janeiro e março de 2017), mas a percentagem de jovens ‘nem-nem’ manteve-se estável nos 8,8% na variação trimestral.