500kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Provas do 9.º ano. Mais de metade dos alunos chumbam a Matemática e um terço deles não passa dos 10% de classificação

Este artigo tem mais de 4 anos

Resultados das provas finais do 9.º ano mostram que a Português a média sobe para 66%, mas a Matemática os alunos afundam: descem para uma média negativa de 47% e 49 mil estudantes chumbaram.

i

AFP/Getty Images

AFP/Getty Images

A Matemática continua a ser o calcanhar de Aquiles dos estudantes portugueses. Os resultados das provas finais do 9.º ano mostram resultados desastrosos a esta disciplina que teve média negativa: mais de metade dos alunos chumbaram e, entre estes, um terço não conseguiu passar dos 10% de classificação.

Os valores foram divulgados hoje pelo Ministério de Educação e mostram também o desempenho a Português. Enquanto os estudantes pioram a Matemática, melhoram na disciplina de língua materna.

A Português a média sobe para 66% (contra os 58% do ano anterior), enquanto que a Matemática a média desce 6 pontos percentuais. Assim, nesta disciplina a média nacional dos exames é negativa e não passa dos 47%.

Pior. Na prova de Matemática, mais de metade dos estudantes reprovaram e apenas 48% conseguiu obter classificação igual ou superior a 50%. Se olharmos para os valores que começam a afastar-se da linha de água, pouco mais de um terço dos alunos (35,7%) conseguiu ter notas superiores a 60%.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Matemática: mais de 49 mil negativas

Olhando para os números desagregados, o cenário não melhora. Pelo contrário. Com quase 95 mil alunos a fazerem as provas finais, mais de 49 mil estudantes tiveram negativa. E entre estes, houve 2346 que tiveram entre nota zero e 4% na prova.

De novo, entre os alunos que chumbaram, um terço (30,5%) não conseguiu ir para além de uma avaliação de 10%.

Do outro lado da tabela, entre os que conseguiram alcançar a nota positiva, percebe-se que pouco mais de um terço teve uma nota acima dos 60%. À medida que se sobe na classificação, o número de alunos que consegue obter bons resultados desce.

Há 306 estudantes que conseguiram alcançar a nota máxima, o que no universo total não é suficiente para sequer se atingir um número inteiro: representam 0,3% do total. Olhando para aqueles que conseguiram classificações iguais ou superiores a 75%, e que já poderão ser considerados bons alunos, obtemos um total de pouco mais de 19 mil estudantes. Representam 20,6% do total de alunos que fez o exame de Matemática.

Em relação ao ano letivo anterior, a média final desce de 53% para 47%.

Português. Média sobe 8 pontos em relação ao ano anterior

Na disciplina de língua materna, os resultados melhoraram em relação ao ano letivo anterior. Em termos médios, a classificação da prova foi de 66%, o que representa uma subida de 8 pontos percentuais em relação aos 58% dos exames de 2016/2017.

Por outro lado, as classificações negativas abrangem 13% dos estudantes, com a esmagadora maioria (87%) a conseguir um resultado igual ou acima dos 50%.  

Entre os alunos que não conseguiram chegar à nota positiva, a desagregação mostra um cenário completamente diferente do de Matemática. Só 2 alunos tiveram entre 0 e 4% e 8 tiveram entre 5 e 9%. O grosso das negativas (60,8%) esteve na linha de água, entre os alunos que alcançaram 40% e 45% de classificação.

No lado oposto da tabela, há 112 alunos que tiraram a nota máxima, um valor residual quando comparado com os 93940 estudantes que fizeram a prova.

A classificação que têm maior número absoluto de alunos (12434) é a que vai dos 70 aos 75%.

Matemática também não correu bem nos exames do Secundário

Na quinta-feira foram divulgados os resultados dos exames nacionais do 11.º e do 12.º ano. Matemática foi a disciplina com maior taxa de reprovação e História A foi a que obteve a pior média nacional, 9,5 valores, não tendo chegado a uma classificação positiva.

A Português, que a par com Matemática é a única disciplina que está presente em todos os 12 anos do ensino obrigatório, não houve grandes alterações em relação aos exames nacionais de 2017. A taxa de reprovação situa-se nos mesmos 6% (em 2016 era de 7%) e o valor médio obtido pelos alunos desce um ponto percentual, passando de 11, 1 para 11 valores.

Exame de Matemática do 12.º ano foi o que teve maior taxa de reprovação

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.