271kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Provas do 9.º ano. Mais de metade dos alunos chumbam a Matemática e um terço deles não passa dos 10% de classificação

Este artigo tem mais de 2 anos

Resultados das provas finais do 9.º ano mostram que a Português a média sobe para 66%, mas a Matemática os alunos afundam: descem para uma média negativa de 47% e 49 mil estudantes chumbaram.

i

AFP/Getty Images

AFP/Getty Images

A Matemática continua a ser o calcanhar de Aquiles dos estudantes portugueses. Os resultados das provas finais do 9.º ano mostram resultados desastrosos a esta disciplina que teve média negativa: mais de metade dos alunos chumbaram e, entre estes, um terço não conseguiu passar dos 10% de classificação.

Os valores foram divulgados hoje pelo Ministério de Educação e mostram também o desempenho a Português. Enquanto os estudantes pioram a Matemática, melhoram na disciplina de língua materna.

A Português a média sobe para 66% (contra os 58% do ano anterior), enquanto que a Matemática a média desce 6 pontos percentuais. Assim, nesta disciplina a média nacional dos exames é negativa e não passa dos 47%.

Pior. Na prova de Matemática, mais de metade dos estudantes reprovaram e apenas 48% conseguiu obter classificação igual ou superior a 50%. Se olharmos para os valores que começam a afastar-se da linha de água, pouco mais de um terço dos alunos (35,7%) conseguiu ter notas superiores a 60%.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Matemática: mais de 49 mil negativas

Olhando para os números desagregados, o cenário não melhora. Pelo contrário. Com quase 95 mil alunos a fazerem as provas finais, mais de 49 mil estudantes tiveram negativa. E entre estes, houve 2346 que tiveram entre nota zero e 4% na prova.

De novo, entre os alunos que chumbaram, um terço (30,5%) não conseguiu ir para além de uma avaliação de 10%.

Do outro lado da tabela, entre os que conseguiram alcançar a nota positiva, percebe-se que pouco mais de um terço teve uma nota acima dos 60%. À medida que se sobe na classificação, o número de alunos que consegue obter bons resultados desce.

Há 306 estudantes que conseguiram alcançar a nota máxima, o que no universo total não é suficiente para sequer se atingir um número inteiro: representam 0,3% do total. Olhando para aqueles que conseguiram classificações iguais ou superiores a 75%, e que já poderão ser considerados bons alunos, obtemos um total de pouco mais de 19 mil estudantes. Representam 20,6% do total de alunos que fez o exame de Matemática.

Em relação ao ano letivo anterior, a média final desce de 53% para 47%.

Português. Média sobe 8 pontos em relação ao ano anterior

Na disciplina de língua materna, os resultados melhoraram em relação ao ano letivo anterior. Em termos médios, a classificação da prova foi de 66%, o que representa uma subida de 8 pontos percentuais em relação aos 58% dos exames de 2016/2017.

Por outro lado, as classificações negativas abrangem 13% dos estudantes, com a esmagadora maioria (87%) a conseguir um resultado igual ou acima dos 50%.  

Entre os alunos que não conseguiram chegar à nota positiva, a desagregação mostra um cenário completamente diferente do de Matemática. Só 2 alunos tiveram entre 0 e 4% e 8 tiveram entre 5 e 9%. O grosso das negativas (60,8%) esteve na linha de água, entre os alunos que alcançaram 40% e 45% de classificação.

No lado oposto da tabela, há 112 alunos que tiraram a nota máxima, um valor residual quando comparado com os 93940 estudantes que fizeram a prova.

A classificação que têm maior número absoluto de alunos (12434) é a que vai dos 70 aos 75%.

Matemática também não correu bem nos exames do Secundário

Na quinta-feira foram divulgados os resultados dos exames nacionais do 11.º e do 12.º ano. Matemática foi a disciplina com maior taxa de reprovação e História A foi a que obteve a pior média nacional, 9,5 valores, não tendo chegado a uma classificação positiva.

A Português, que a par com Matemática é a única disciplina que está presente em todos os 12 anos do ensino obrigatório, não houve grandes alterações em relação aos exames nacionais de 2017. A taxa de reprovação situa-se nos mesmos 6% (em 2016 era de 7%) e o valor médio obtido pelos alunos desce um ponto percentual, passando de 11, 1 para 11 valores.

Exame de Matemática do 12.º ano foi o que teve maior taxa de reprovação

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.