Viana do Castelo

Apreendidos em Viana do Castelo mais de 18 toneladas de atum rabilho

A Unidade de Controlo Costeiro do Destacamento de Matosinhos apreendeu, no porto de pesca de Viana do Castelo, mais de 18.700 quilos de atum rabilho, espécie protegida devido ao risco de extinção.

GAVIN NEWMAN / GREENPEACE INTERNATIONAL / HANDOUT/EPA

A Unidade de Controlo Costeiro do Destacamento de Matosinhos anunciou esta sexta-feira a apreensão de 18.700 quilos de atum rabilho, espécie protegida por legislação internacional, devido ao risco de extinção, no porto de pesca de Viana do Castelo.

Em comunicado, aquela unidade adiantou que o pescado foi apreendido ao mesmo armador a quem, na semana passada, foram “apreendidas cerca de 15 toneladas de pescado da mesma espécie”.

“Durante a ação de fiscalização à embarcação, o autuado não se demonstrou colaborante com os militares fiscalizadores, tendo sido necessário proceder à detenção do mesmo pelo crime de desobediência. O detido foi constituído arguido e sujeito à medida de coação de termo de identidade e residência, tendo o expediente sido remetido ao Tribunal de Viana do Castelo”, adiantou. O pescado, por não ser possível devolvê-lo ao mar, foi leiloado em lota.

A Unidade de Controlo Costeiro do Destacamento de Matosinhos explicou que “por ter sido atingida, este ano, a cota máxima estabelecida, não é permitido direcionar a atividade da pesca para exemplares daquela espécie”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Sri Lanka

Ataque terrorista à geografia humana de Portugal

Vitório Rosário Cardoso

É quase indissociável desde o século XVI na Ásia marítima a questão de se ser católico e de se ser Português porque afirmando-se católico no Oriente era o mesmo que dizer ser-se Português. 

Museus

Preservação do Património Cultural

Bernardo Cabral Meneses

As catástrofes ocorridas no Rio de Janeiro e em Paris deverão servir de exemplo para ser reforçada a segurança contra incêndios nos edifícios e em particular nos museus portugueses.

Liberdades

Graus de liberdade /premium

Teresa Espassandim

Ninguém poderá afirmar que é inteiramente livre, que pouco ou nada o condiciona, como se a liberdade significasse tão só e apenas a ausência de submissão e de servidão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)