Lucros

Wynn Resorts mais do que duplica lucros, jogo em Macau é o principal responsável

A Wynn Resorts apresentou lucros líquidos de 155,8 milhões de dólares (133,4 milhões de euros) no segundo trimestre de 2018, mais do dobro do que no período homólogo de 2017.

JEROME FAVRE/EPA

A Wynn Resorts apresentou lucros líquidos de 155,8 milhões de dólares (133,4 milhões de euros) no segundo trimestre de 2018, mais do dobro do que no período homólogo de 2017, devido aos bons resultados do jogo em Macau.

“O aumento no lucro líquido atribuível à Wynn Resorts Limited deveu-se principalmente a um aumento na receita operacional do Wynn Palace”, um dos dois casinos que opera em Macau, esclareceu em comunicado o grupo com sede em Las Vegas, nos Estados Unidos.

De acordo com o grupo hoteleiro e concessionário de jogo em Las Vegas, no segundo trimestre do ano passado a Wynn Resorts tinha alcançado 74,9 milhões de dólares (64,1 milhões de euros), uma diferença de 80,9 milhões de dólares (69,2 milhões de euros) em comparação com os dados apresentados nesta quarta-feira. As receitas operacionais do trimestre em análise do ‘resort’ integrado Wynn Palace, em funcionamento desde 2016, foram de 620,6 milhões de dólares, mais 56,6% em relação ao mesmo período de 2017.

O EBITDA ajustado (resultados antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) no Wynn Palace foi de 179,3 milhões de dólares, mais 105,1% comparando com o período do segundo trimestre do ano passado, pode ler-se no mesmo comunicado.

Por outro lado, o segundo empreendimento que o grupo tem em Macau, o Wynn Macau, sofreu um decréscimo nas receitas em relação ao período em análise do ano passado. As receitas operacionais atingiram 543,3 milhões de dólares, menos 14,9% face aos 638,5 milhões arrecadados no mesmo período de 2017.

De acordo com o comunicado, o grupo alcançou receitas de 1,61 mil milhões de dólares (mil milhões de euros), o que representa um aumento 9% em relação ao segundo trimestre do ano passado.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Economia

Produtividade: a culpa é da mão de obra?

Fernando Pinto Santos

De quem é a culpa da baixa produtividade do trabalho em Portugal? Da mão de obra? Sim, mas é só um dos fatores. Falta também maior eficiência dos fatores produtivos e maior capacidade para criar valor

Ensino Superior

Bolonha, 20 anos depois

José Ferreira Gomes

Temos um falso sistema de dois ciclos de licenciatura e mestrado porque se está a generalizar a prática de admitir a mestrado estudantes que não concluíram a licenciatura. Estranho? Não em Portugal!

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)