Rádio Observador

Crimes Sexuais

Maestro da Orquestra Real do Concertgebouw afastado após acusações de abusos sexuais

O maestro titular da Orquestra Real do Concertgebouw, na Holanda, Daniele Gatti, foi afastado do cargo depois de terem sido reveladas acusações de que teria atacado duas mulheres no seu camarim.

ROBIN VAN LONKHUIJSEN/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O maestro titular da Orquestra Real do Concertgebouw, na Holanda, Daniele Gatti, foi afastado do cargo, anunciou a instituição, depois de, no final de julho, terem sido reveladas acusações de que teria atacado duas mulheres no seu camarim. Em comunicado, aquela que é considerada como uma das melhores orquestras do mundo referiu ter “terminado a sua cooperação com o maestro Daniele Gatti, com efeito imediato”.

“Em 26 de julho, o Washington Post publicou um artigo no qual Gatti foi acusado de comportamento impróprio. Estas acusações e as reações de Gatti a este respeito causaram muita comoção junto de músicos e do resto do pessoal, bem como de outros intervenientes. Para além disto, desde a publicação do artigo, um número de colegas da Orquestra Real do Concertgebouw relataram experiências com Gatti que são impróprias, considerando a sua posição como maestro titular”, acrescentou o comunicado da orquestra.

Isto, segundo o mesmo texto, “danificou de forma irreparável a relação de confiança entre a orquestra e o maestro”. Desta forma, todos os concertos planeados verão Daniele Gatti substituído por outros maestros. Numa reação citada pelo Washington Post, através do seu advogado, Gatti disse-se “extremamente surpreendido” e negou “todas as acusações”.

Num comunicado emitido mais cedo, através da sua agência de comunicação, Gatti pediu desculpa: “A todas as mulheres que conheci na vida, especialmente a todas as que acreditam que não as tratei com o maior respeito e com a dignidade que certamente merecem, peço as minhas sinceras desculpas, do fundo do meu coração”.

O trabalho do Washington Post revelou acusações sobre dois homens ligados à música, para além de Gatti: Bernard Uzan, que anunciou esta semana que ia abandonar a ópera, e William Preucil, suspenso pela Orquestra de Cleveland e despedido pela Universidade de Furman.

Gatti é mais um de vários maestros que têm sido acusados de comportamentos impróprios ao longo de décadas, como Charles Dutoit, despedido pela Orquestra Filarmónica Real de Londres, e James Levine, também despedido pela Ópera Metropolitana de Nova Iorque.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Racismo

A Instrumentalização Política do Preconceito (2)

Vicente Ferreira da Silva e Miguel Granja

A ideia de que certos indivíduos membros da espécie humana pelo facto de partilharem alguns atributos arbitrários se esgotam em predicados grupais é objectivamente racista e sexista.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)