Ambiente

Santiago do Cacém excedeu limiar de ozono esta quinta-feira

A Associação Sistema Terrestre Sustentável alertou para a necessidade de avisar a população de Santiago do Cacém para os níveis excessivos de ozono, que ultrapassou os limites na quinta-feira.

TIAGO CANHOTO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Santiago do Cacém ultrapassou o limite do poluente ozono na quinta-feira durante mais de 12 horas, mesmo à noite, o que poderá repetir-se esta sexta-feira, segundo a Zero, que insiste na necessidade de avisar a população.

“Na estação de Monte Velho, em Santiago do Cacém, tinha ocorrido a excedência durante cinco horas no dia 1 [quarta-feira] e ontem, dia 2, [quinta-feira]”, das 11h00 às 12h00, comunicada pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), às 14h00, com o valor de 196 microgramas por metro cúbico, acima do limiar de informação, disse à agência Lusa Carla Graça, da Zero.

A última informação que existe no sítio da internet da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) para aquela localidade alentejana foi registada esta quinta-feira às 09h00, “já com valores de 144 [microgramas], até superiores àqueles que ocorreram ontem à mesma hora, é provável que possa acontecer uma situação semelhante”, salientou a vice-presidente da Associação Sistema Terrestre Sustentável, Zero.

Carla Graça descreveu que, na quinta-feira, a situação foi-se agravando e, a partir das 14h00, entrou no limiar de alerta, acima dos 240 microgramas, com valores a chegarem aos 270, tendo depois atingido um pico de 330 microgramas, entre as 18h00 e as 19h00. Os valores mantiveram-se superiores ao limiar de informação até às 20:00, com 273 microgramas.

Desde as 20h00 até à 01h00 de hoje, os valores tiveram sempre acima do limiar de informação, acima dos 180 microgramas”, acrescentou Carla Graça.

Tendo sido uma situação tão prolongada, das 12h00 à 01h00, mais de 12 horas, “era conveniente que o alerta tivesse sido reforçado, principalmente a partir do período do início da noite”, salientou, explicando ser normal que as pessoas pensem que com a chegada da noite, deixou de haver problema de poluição por ozono.

Têm estado a ocorrer muitos alertas à população para terem cuidado, mas é necessário que quando sucedem as situações, nos locais, que as populações sejam efetivamente avisadas”, defendeu a ambientalista.

Na quinta-feira, em Ílhavo, houve uma excedência, apenas durante uma hora, das 16:00 às 17:00, e, “que tenhamos conhecimento, não houve qualquer alerta à população”, acrescentou Carla Graça.

A explicação para a ocorrência daqueles valores de ozono na localidade alentejana, poderá ser explicada com as condições atmosféricas, com ventos que podem dispersar plumas de poluentes numa determinada direção, o que com elevadas temperaturas e radiação, levam às concentrações de ozono.

A população pode consultar os níveis de ozono medidos pela rede de monitorização da qualidade do ar no sítio da APA, mas é obrigação das CCDR avisarem as outras autoridades e a população, através da comunicação social, da ocorrência de ultrapassagens aos limiares.

A informação está disponível e qualquer um pode lá ir, mas não é muito fácil navegar no ‘site'”, referiu Carla Graça.

A divulgação junto do público comporta dois limiares, sendo um deles de informação, quando se verifica um valor horário de ozono superior a 180 microgramas por metro cúbico (µg/m3), que implica precauções pelos grupos sensíveis, como idosos, crianças ou pessoas com problemas respiratórios.

O limiar de alerta ao público refere-se às situações com um valor de ozono superior a 240 µg/m3 por hora, devendo as precauções ser tomadas por toda a população. A APA alertou para a possibilidade de fraca qualidade do ar em Portugal continental durante o período de onda de calor, devido às concentrações de ozono e a partículas de poeira vindas do norte de África.

Segundo a APA, as condições meteorológicas, com temperaturas muito elevadas nos próximos dias, com o aumento da concentração do ozono troposférico, sobretudo no litoral do país, e a previsão de poeiras no ar, “conduzem a uma potencial situação de fraca qualidade do ar generalizada para todo o território continental até ao final [do dia] de domingo”.

Os efeitos na saúde à exposição de curto prazo a elevadas concentrações de ozono passam por danos aos pulmões e inflamação das vias respiratórias, aumento da tosse e maior probabilidade de ataques de asma. Quando se verificam elevadas concentrações, as pessoas devem permanecer em casa ou noutros locais fechados e não fazer atividade física intensa.

Portugal continental está debaixo de calor extremo até final do dia de sábado, com 11 distritos sob aviso vermelho, o mais grave, devido a um anticiclone que transporta ar quente do norte de África.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)