Rádio Observador

Cuidado: está quente

Um prego de peixe? Não é novidade mas agora está em Algés

140

O Prego da Peixaria tem agora nova casa em Algés. Afastado do centro agitado de Lisboa, o espaço trouxe algumas novidades: há peixes grelhados e carnes servidas na tábua. A decoração também é nova.

O novo espaço d'O Prego da Peixaria é bastante amplo e acolhedor

Autor
  • Catarina Gonçalves Pereira

À entrada há uma montra frigorífica onde se pode ver o clássico hambúrguer de salmão e choco ou o de Atum, mas também as carnes, como a picanha black angus ou o tártaro de carne (estas duas últimas são algumas das novidades). Confere, estamos n’O Prego da Peixaria, mas bem distantes do centro agitado de Lisboa.

Fica no número 5A da Praceta Professor Alfredo de Sousa, em Algés. E ao passar a porta vemos a cozinha, forrada a chapa, quase como se nos encontrássemos numa garagem velha. Já na mesa, e para abrir o apetite, chega um tabuleiro com algumas entradas, são os salgados d’O Prego (a 1,90€): croquetes de carne, rissóis de camarão, pastéis ou as famosas chamuças.

O projeto gráfico é assinado pelo graffiter e tatuador Miguel Brum

A geografia do espaço está desenhada de acordo com o que se serve. Do lado direito, o peixe. Podem ver-se na parede três estruturas de metal em forma de espinha e há mesas e cadeiras em tons de branco e azul. E as novidades continuam na carta: agora há opções mais saudáveis n’O Prego. Vários peixes para grelhar, como o salmão (a 11,50€), o atum (a 16€) e a dourada (a 11,50), sempre servidos com dois acompanhamentos  — as batatas Marilyn Monroe (a 1,50€), batata doce frita (a 2€) e os legumes salteados (a 1,50€) –, mas também o tártaro de salmão fresco (a 10,50€). E o hambúrguer? Aqui, já se sabe, só mesmo de peixe “e sem espinhas” — o de salmão e choco, com tomate e algas, envolto em bolo do caco de tinta de choco poderá ser uma boa escolha.

Hambúrguer de salmão e choco

Do lado esquerdo, a carne. Na parede, desenham-se vários bifes bem vermelhos e até uma vaca com a inscrição “Queres bife?” — uma obra do graffiter e tatuador Miguel Brum. Como não podia deixar de ser, os clássicos pregos — com lombo envolto em bolo do caco da Madeira — mantêm-se, com as várias tribos (Clássico, Dandy, Yuppie, Geek, Rockabilly e Motard) a fazerem parte da carta.

Também aqui há inovação. Agora há carnes de diferentes origens e cortes a serem servidas na tábua, sempre com dois acompanhamentos à escolha (os mesmos selecionados para os peixes). Picanha black angus (a 11,50€) é a novidade mais apelativa e com razão: as fatias de carne são finas e suculentas, servidas com com palitos de batata doce frita e legumes salteados.

Há vários pregos à escolha: Clássico, Dandy, Yuppie, Geek, Rockabillly e Motard

As saladas — atum, rosbife, caprese e césar (entre os 8,50€ e os 9,50€) — continuam a existir, bem como uma opção de hambúrguer vegetariano (8,50€) com alho francês, ovo, batata palha, salsa e sweet shili sauce. E como O Prego da Peixaria não esquece os mais pequenos, há também um menu a pensar nas crianças. A mesa comprida, aquela que se encontra no centro da sala, está repleta de doces, sobremesas e fruta: o convite para terminar em grande. O carpaccio de maçã (a 4,50€), doce e crocante, combina na perfeição com uma bola de gelado de canela.

Entretanto, a sala, que tem lugar para 70 pessoas, está já bastante composta: há dois grupos em duas mesas compridas, mesmo em frente à cozinha, e as mesas no lado “peixe” estão completas. Os empregados andam atarefados de um lado para outro, mas nunca se esquecem de perguntar: “Está tudo bem?”. Em breve, a esplanada, que terá mais 56 lugares, não vai deixá-los descansar.

Nome: O Prego da Peixaria – Algés
Morada: Praceta Professor Alfredo de Sousa, n.º5A
Telefone: 217 651 591 ou 217 651 592
Horário: De segunda a sexta das 12h às 15h30 e das 19h à 00h00. Sábado e domingo das 12h à 00h00.
Reservas: Não aceitam
Site: www.opregodapeixaria.com

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)