Os alemães do Börse Express dão conta de um estudo referente aos construtores de carros mais luxuosos, desta feita elaborado pelo também germânico professor de economia Ferdinand Dudenhöffer, o qual apurou o lucro de cada fabricante em cada carro vendido, com base no número de unidades transaccionadas no primeiro semestre de 2018.

Sem contar com a Lamborghini e a Rolls-Royce, pois ambas as marcas não divulgam o respectivo relatório de vendas e lucros, o investigador alemão concluiu que nem sempre o chavão “grandes carros, grandes lucros” se aplica. Que o diga a Bentley, com o construtor de Crewe a perder 17.000€ em cada novo modelo que matricula. A explicação para tal residirá, ao que justificou um porta-voz da marca, no facto de neste momento o fabricante britânico estar a efectuar um avultado investimento na electrificação.

Sem surpresas, confirma-se que a Tesla também tem prejuízo em cada venda que realiza, o que não é de espantar face à disparidade que existe entre o investimento que a marca californiana está a realizar e o número de veículos eléctricos que consegue produzir para entregar a clientes. Recorde-se que, só em Junho Elon Musk conseguiu cumprir os objectivos (5.000 por semana) a que se tinha proposto com o Model 3.

Ferrari, Volvo, Maserati, BMW, Porsche, Mercedes, Audi e Jaguar Land Rover também figuram no ranking de Dudenhöffer. Pode conferir como se organizam na fotogaleria acima, mas desde já realçamos que esta tabela reflecte apenas o lucro por unidade vendida. Ou seja, não espelha o volume de vendas, o que significa que uma marca pode ganhar muito em cada carro que vende, mas se vender poucos acaba por não ganhar tanto como as marcas que, lucrando menos em cada veículo, vendem muito mais. E há um construtor alemão que é disso um perfeito exemplo, de há uns anos a esta parte.