Tesla

Elon Musk confirma que quer tirar a Tesla da bolsa. Financiamento está garantido por fundo da Arábia Saudita

O CEO da Tesla emitiu um comunicado no qual confirma a intenção de fechar o capital da empresa. Musk revelou ainda que o financiamento está "garantido" por um fundo de investimento da Arábia Saudita.

Elon Musk pode ser acusado de má conduta por ter anunciado a privatização no Twitter

Depois de na semana passada Elon Musk ter anunciado no Twitter que estava a “considerar” fechar o capital da Tesla, tirando-a da bolsa norte-americana, chegou a confirmação. Num comunicado emitido por Elon Musk, o presidente da empresa de carros elétricos confirma que quer que a Tesla deixe de ser cotada em bolsa e explica o que queria dizer com “o financiamento que está garantido”: o multimilionário está em conversações com um fundo de investimento público da Arábia Saudita “há quase dois anos”, que o abordou “múltiplas vezes sobre a possibilidade de tirar a Tesla da bolsa”, explica o site especializado TechCrunch.

O fundo a que Musk se refere adquiriu recentemente dois mil milhões de dólares em ações da Tesla, quase 5% do capital social que a empresa tem disperso em bolsa. O presidente da Tesla, que também lidera a empresa de inovação espacial Space X, revelou que reuniu com o fundo saudita no início de 2017 e que os representantes expressaram interesse na empresa devido “à importante necessidade de diversificar para lá do petróleo”. Voltaram a encontrar-se várias vezes ao longo do ano e Elon Musk garante que “o fundo saudita tem mais do que o capital que seria necessário para executar uma transação destas”.

Depois de terem comprado massivamente ações da Tesla, os sauditas voltaram a pedir uma reunião com Musk a 31 de julho. Nessa altura, explicaram ao multimilionário que “lamentavam” que este ainda não tivesse avançado com a decisão de tirar a empresa da bolsa e “expressaram um forte apoio” à operação. “Deixei a reunião sem duvidar que poderia fechar negócio com o fundo da Arábia Saudita, que era só uma questão de colocar o processo a andar”, afirmou Elon Musk.

Ainda que, segundo o empresário, o negócio esteja praticamente concluído e apenas a depender de “alguns detalhes e logística”, a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos abriu um inquérito ao tweet de Elon Musk. Ainda que a abertura de um inquérito não signifique diretamente que vai existir uma investigação, o fundador da Tesla pode ser considerado culpado de má conduta por ter anunciado nas redes sociais que ia privatizar a empresa.

A Tesla está cotada no NASDAQ, nos Estados Unidos, desde 2010. No tweet de 7 de agosto, Elon Musk dizia que estava a pensar privatizar a fabricante de carros elétricos por 420 dólares a ação (cerca de 362 euros). A pequena mensagem do empresário fez subir as ações da empresa em 6,5% em poucos minutos.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt
Crónica

Questões afetivas, sexuais e outras /premium

Laurinda Alves

Ler o que escreve Halík dá que pensar e ajuda a pôr muita coisa em perspetiva. Amanhã estará em Lisboa e vai, também ele, encher auditórios e anfiteatros. Vem para colocar o dedo em muitas feridas.  

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)