Guatemala

Mais de 50 mil crianças e jovens na Guatemala foram mães no primeiro semestre

Mais de 50 mil crianças e jovens, com idades compreendidas entre os 10 e os 19 anos, foram mães no primeiro semestre de 2018 na Guatemala. É o resultado da pobreza, machismo e violência sexual.

Saul Martinez/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A Guatemala registou um total de 51.110 crianças e jovens que foram mães entre os dez e os 19 anos no primeiro semestre de 2018, de acordo com o Observatório de Saúde Sexual e Reprodutiva daquele país.

A maior parte desse número corresponde a crianças de 19 anos (12.952), mas as estatísticas revelam que houve oito casos de crianças de dez anos de idade, 25 com 11 anos, 77 de 12 anos, 307 de 13 anos e 1.058 em jovens de 14 anos.

A gravidez na adolescência, acrescentou o observatório, é resultado de múltiplos fatores, como a pobreza, machismo, baixa escolaridade, práticas culturais ou violência sexual, situação que “perpetua o ciclo de pobreza, violência, desnutrição e impede o desenvolvimento”.

O Observatório da Saúde Sexual e Reprodutiva contabilizou em 2017 um total de 92.259 casos de gravidez na adolescência, dos quais 48.450 correspondem a situações que envolvem menores.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Winston Churchill

A arrogância da ignorância /premium

João Carlos Espada

Como devemos interpretar que um dirigente do segundo maior partido britânico venha dizer em público que o líder do mundo livre durante a II Guerra, Winston Churchill, foi um “vilão”?

Winston Churchill

A arrogância da ignorância /premium

João Carlos Espada

Como devemos interpretar que um dirigente do segundo maior partido britânico venha dizer em público que o líder do mundo livre durante a II Guerra, Winston Churchill, foi um “vilão”?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)