Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Vai ser uma das estrelas do Salão Automóvel de Paris, com a BMW a confirmar que aposta forte no seu futuro Série 3, um dos seus modelos mais populares. E numa altura em que a marca alemã já se prepara para começar a apresentar a sua gama eléctrica, mais um motivo para que o Série 3 apele aos valores tradicionais deste construtor bávaro: veículos divertidos de conduzir.

Sabe-se já que o próximo Série 3 será 10 mm mais baixo e 55 kg mais leve, tudo porque a marca apostou em dotá-lo com um comportamento mais desportivo e eficaz e, para isso, nada melhor do que fazer uma “dieta”, se bem que ligeira, e baixar o centro de gravidade, ainda que muito pouco. Isto e continuar a apostar numa correcta distribuição de massas pelos dois eixos, com 50% a incidir sobre cada um deles, recuando um pouco a posição do motor, uma vez que excesso de peso à frente do eixo anterior é o mesmo que pedir que o veículo fuja demasiado de frente, comprometendo o equilíbrio e a eficácia.

E, em matéria de gozo para o condutor, o responsável pelo Driving Dynamics, Peter Langen, afirma que o novo modelo “vai ter montadas suspensões M Sport 20% mais duras, o que promete diferenciar mais do que até aqui os modelos desportivos dos restantes”. E Langen não apostou apenas na dureza dos amortecedores e das molas, uma que, de acordo com o técnico, foram igualmente utilizados ”rótulas rígidas e barras estabilizadoras mais grossas”. A suspensão mais desportiva, a M Sport, é proposta juntamente com o Variable Sports Steering System, que visa dar mais feeling ao condutor. Que, para isso, conta também com um diferencial controlado electronicamente, que por sua vez está interligado com o Dynamic Stability Control System, o que na opinião da BMW permite o diferencial interagir com a capacidade do carro fugir de frente ou de traseira.

Em termos de motorizações, a marca alemã diz apenas que o novo Série 3 vai estar equipado com o 4 cilindros a gasolina mais potente da marca numa versão que não seja M. Paralelamente, este novo motor é capaz de ser mais 5% comedido em matéria de consumo, facto para o que contribui igualmente a caixa automática de duas velocidades, o que lhe permite ter duas velocidades apenas para reduzir consumos e ruído.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR