Os juros do crédito à habitação registaram em julho uma taxa de 1,038%, a maior do último ano, e acima da taxa de 1,032% registada em junho, revelou esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE). Em julho de 2017, esta taxa de juro implícita no crédito à habitação era de 1,009%, e em janeiro deste ano de 1,024%.

Contando apenas os contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro registada em julho pelo instituto foi de 1,471%, acima da taxa de 1,427% em junho. Para o destino de financiamento “aquisição de habitação”, que é o mais relevante no conjunto do crédito à habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos foi 1,060%, mais 0,6 pontos base (pb) do que em junho.

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro para este destino de financiamento aumentou 6,2 pb em julho, para 1,467%. Considerando a totalidade dos contratos, a prestação média vencida foi 242 euros, mais um euro do que em junho, enquanto o capital médio em dívida para a totalidade dos contratos de crédito à habitação aumentou 108 euros, para 52.016 euros.