A transportadora aérea Ryanair anunciou esta quinta-feira ter chegado a acordo com o sindicato dos seus pilotos irlandeses Forsa, o que poderá resolver o conflito laboral que resultou em cinco dias de greve na Irlanda.

Numa publicação no Twitter, a companhia de baixo custo anunciou o acordo, alcançado depois de uma reunião, que durou 22 horas, e terminou esta manhã.

As propostas serão apresentadas à direção da companhia, que garantiu que irá respeitar o pedido do mediador no processo, Kieran Mulvey, de as partes se absterem de comentar a situação até à conclusão do acordo.

A última paralisação dos pilotos irlandeses, que se estendeu às bases da Holanda, Alemanha, Suécia e Bélgica, ocorreu no passado dia 10, durante 24 horas.

Os sindicatos de pilotos avançaram para a paralisação numa tentativa de pressionarem a administração a aumentar os salários e a melhorar as condições de trabalho.

No final de julho, tripulantes de cabine de Itália, Portugal, Espanha e Bélgica estiveram em greve para reclamar, nomeadamente, a aplicação das leis laborais nacionais e não a irlandesa.

Os sindicatos europeus dos tripulantes vão reunir-se a 7 de setembro, em Roma, para balanço do protesto.