A Uber quer começar a apostar no uso de bicicletas e trotinetas elétricas para transportar os seus clientes. Este ano, a empresa já tinha comprado a plataforma de partilha de bicicletas elétricas Jump e investido na empresa de trotinetas elétricas Lime e quer agora aplicar estes modelos de transporte às seus próprias operações.

Para o presidente-executivo (CEO) da Uber, Dara Khosrowshahi, os meios de transporte individuais são mais adequados para viagens curtas dentro da cidade: “Durante a hora de ponta, é muito ineficiente para um chaço de uma tonelada de metal transportar uma pessoa por 10 quarteirões”, disse em entrevista ao Financial Times.

Apesar de admitir que esta mudança pode reduzir os ganhos numa primeira fase, Khosrowshahi está confiante de que no futuro a estratégia vai revelar-se rentável para a Uber: “Financeiramente, no curto-prazo, talvez não seja uma vitória para nós, mas estrategicamente, no longo-prazo, pensamos que essa é a forma como queremos ser conhecido”.

O líder da empresa reconhece que fará menos dinheiro numa viagem de bicicleta do que numa de carro, mas considera que a vantagem estará no aumento do número de pessoas que vão usar a aplicação: “Na minha carreira, apercebi-me de que o relacionamento a longo-prazo ganha guerras. Por vezes, vale a pena perder batalhas para ganhar guerras”

Em relação aos motoristas, o CEO diz que podem beneficiar com a mudança, uma vez que podem começar a fazer viagens mais longas, com menos trânsito e mais rentáveis.