Esta final era quase como um conto de fadas para Naomi Osaka. A tenista nasceu há 20 anos na cidade com o seu nome, no Japão, mas mal arranha japonês, de tão nova emigrou para os Estados Unidos. Tinha apenas três anos, o gosto pelo ténis chegou pouco depois e chegou porque havia uma tal de Serena Williams que começava a despontar nos courts. A final do US Open deste sábado era, por isso, uma oportunidade quase única da jovem fã poder derrotar o seu ídolo. E foi mesmo isso que aconteceu. Osaka conquistou o primeiro Grand Slam da carreira e apenas o seu segundo torneio (depois do triunfo no Masters 1.000 de Indian Wells), numa final dramática marcada pelo descontrolo emocional da veterana Williams — que partiu a raquete e insultou um árbitro português.

Já lá vamos. No jogo jogado, foi a mais jovem que vestiu a pele de experiente, tal a segurança que exibiu ao longo do encontro. Mesmo diante da tenista 23 vezes campeã de Grand Slams, a japonesa mostrou uma capacidade notável de concentração e precisou apenas de uma hora e 19 minutos para derrotar Williams por 2 sets a 0 (parciais de 6-2 e 6-4).

Mas os instantes finais ficaram marcados pela polémica. O juíz português Carlos Ramos advertiu Serena William por, alegadamente, estar a receber instruções do seu treinador. A tenista ficou furiosa pela penalidade, partiu a raquete (recebendo mais uma) e, por fim, avançou para o árbitro de dedo no ar. “Está a atacar o meu caráter”, “é um mentiroso”, “peça desculpa”, “como se atreve a insinuar que eu estava a fazer batota?”, “roubou-me um ponto, é um ladrão“, foram algumas das frases ditas pela veterana tenista ao árbitro português. A linguagem utilizada valeu-lhe a terceira advertência e consequente jogo de penalidade.

https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=x8wqAPCB8n8

Era visível a frustração da tenista de 36 anos, que assim falhou a meta de igualar o recorde da australiana Margaret Court, maior campeã de Grand Slams da história do ténis, com 24 títulos. Também não foi desta que Williams conseguiu conquistar o primeiro título desde que foi mãe, em setembro de 2017. Apesar dos momentos polémicos no final do encontro, acabou por felicitar Osaka. “Ela jogou muito bem, é o primeiro título de Grand Slam dela. Parabéns, Naomi. Obrigada à minha equipa, ao público, vocês são os melhores. Realmente espero que continuar a jogar e estar aqui de novo, quem sabe?”.

Já Osaka reconheceu o “sonho de jogar com Serena uma final do US Open” e mostrou-se algo constrangida após a vitória. “Sei que todos estavam a torcer pela Serena. Desculpem-me. Obrigado por terem assistido ao jogo”, afirmou no final. A tenista tornou-se na primeira japonesa a vencer um Grand Slam e sucede à norte-americana Sloane Stephens no historial do ‘major’ nova-iorquino, que Serena Williams venceu seis vezes, em 1999, 2002, 2008, 2012, 2013 e 2014.