A OCDE reviu, esta quinta-feira, em baixa as perspetivas de crescimento da economia mundial para 2018 e 2019, para 3,7% nos dois anos, e advertiu que há sinais que indicam que o avanço do PIB global já atingiu o máximo.

No relatório de perspetivas internas, que revê as previsões semestrais lançadas em maio, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) sublinha que este crescimento de 3,7% para 2018 e 2019 é inferior em uma e duas décimas, respetivamente, face às estimativas calculadas há menos de quatro meses.

Mais confiança e crescimento de 2,8% no Brasil

No Brasil, a OCDE estima um crescimento de 2% para este ano e uma aceleração para 2,8% em 2019, alicerçado no investimento e na confiança motivada pelas reformas. “A recuperação económica está a fortalecer-se e o crescimento vai chegar aos 2,8% em 2019; o crescimento sólido do investimento reflete a melhoria da confiança graças às recentes reformas, incluindo nos mercados financeiros”, lê-se na análise.

A OCDE diz também que “a inflação foi surpreendentemente baixa, o que aumentou o espaço para o alívio da política monetária e melhorou as condições financeiras” mas que a sustentabilidade orçamental, no entanto, “continua em risco sem uma reforma do sistema das pensões, o que afeta a confiança dos investidores”, conclui a OCDE.