Web Summit

A Web Summit fica em Lisboa. Anúncio oficial acontece quarta no Altice Arena

1.567

A Web Summit vai manter-se em Lisboa, confirmou o Observador. A notícia foi avançada pela Antena 1, que diz que a conferência permanece até 2028.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

A Web Summit vai continuar em Lisboa, confirmou o Observador. A Antena 1 avança que será por mais dez anos. O anúncio vai ser feito esta quarta-feira de manhã no Altice Arena. Esta terça-feira de manhã, a Web Summit anunciou nas redes sociais que tinha novidades sobre a conferência que seriam anunciadas em 24 horas. Na corrida pela maior conferência de empreendedorismo, tecnologia e inovação estavam Madrid, Berlim e Valência.

Contactada pelo Observador, a Câmara Municipal de Lisboa não faz comentários, a Web Summit também não e continua a remeter as novidades sobre o evento para quarta-feira de manhã. Até à hora a que este artigo foi publicado, o Governo não respondeu às tentativas de contacto do Observador.

A Web Summit tinha um contrato de três anos com o Governo português, que terminaria em 2018. Para as edições futuras, estavam várias negociações em cima da mesa , mas sempre foi intenção do executivo português manter a conferência tecnológica em Portugal. A TSF avança que a conferência vai triplicar de tamanho.

Em julho, o Observador avança que a proposta do Governo (para mais dez anos) estaria em “desvantagem” face às candidaturas de cidades como Londres, Madrid ou Paris. O Eco avançava no mesmo mês que a proposta do Governo passaria por um contrato de cinco anos, seguido de outros cinco. Segundo o que o Observador apurou, os detalhes do acordo ainda estarão a ser negociadas pelas partes.

Até à data, ainda não se conhecem valores da proposta, mas sabe-se que Valência tinha apresentado uma proposta de 50 milhões de euros públicos para receber a Web Summit nos próximos 10 anos. No total, contando com infra-estruturas e outros apoios, a conferência receberiam um investimento de 170 milhões.

Nos últimos três anos, o Turismo de Lisboa, Turismo de Portugal e a AICEP investiram um total de 3,9 milhões de euros na Web Summit — 1,3 milhões por cada ano. O contrato com o Governo previa a possibilidade de extensão do contrato por mais dois anos, mas nunca ficou garantido. Estima-se que o evento tenha um impacto de 300 milhões de euros, por ano, na economia lisboeta.

A edição de 2018 realiza-se entre 5 e 8 de novembro em Lisboa, na Altice Arena e na FIL. São esperadas mais de 70 mil pessoas de 170 países, segundo a organização. Na edição do ano passado, participaram no evento 59.115 pessoas de 170 países, entre os quais mais de 1.200 oradores, duas mil startups, 1.400 investidores e 2.500 jornalistas acreditados.

Fundada por Paddy Cosgrave, na Irlanda, em 2010, a Web Summit tornou-se num dos principais eventos de empreendedorismo e tecnologia.

*Em atualização

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt
Caixa Geral de Depósitos

Caixa para que te quero

Inês Domingos

Centeno quis a toda a força financiar a Caixa para lá do que seria aparentemente preciso, mas disse no Parlamento que não tem interesse no resultado da auditoria que revelou os desmandos socialistas. 

África do sul

África do Sul – Que Futuro?

Jaime Nogueira Pinto

Em vésperas de eleições, a República da África do Sul vive dias instáveis, entre a democracia e a cleptocracia. E radicalização de um ANC em quebra eleitoral pode por em causa os equilíbrios do regime

Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves
364

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)