Itália

Bruxelas prevê que Itália vai crescer moderadamente mas incertezas são mau presságio

O crescimento da economia italiana deverá acelerar moderadamente a partir deste ano, mas a incerteza das políticas governamentais e o planeado recuo das reformas estruturais são um mau presságio.

ALESSANDRO DI MEO/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O crescimento da economia italiana deverá acelerar moderadamente a partir deste ano, mas a incerteza das políticas governamentais e o planeado recuo das reformas estruturais são um mau presságio, segundo as previsões da Comissão Europeia esta quinta-feira divulgadas.

Depois de ter atingido 1,6% em 2017, Bruxelas prevê que o crescimento do PIB de Itália seja de 1,1% este ano, 1,2% em 2019 e 1,3% em 2020, sustentado sobretudo pelo aumento do investimento resultante de incentivos fiscais e pelas “ainda favoráveis” de financiamento apesar das turbulências dos mercados.

Segundo as previsões da Comissão Europeia esta quinta-feira divulgadas em Bruxelas, a incerteza das políticas governamentais e o planeado recuo das reformas estruturais são um “mau presságio” para o emprego e para o crescimento potencial de Itália.

O moderado crescimento nos próximos anos será sustentado por uma recuperação das exportações e aumento do gasto público, refere Bruxelas, adiantando que depois de um sólido crescimento, de 1,6%, em 2017, a economia italiana desacelerou na primeira metade deste ano devido à queda das exportações e da produção industrial.

Contudo, Bruxelas sublinha que o aumento do défice associado a taxas de juro mais altas e riscos “substanciais e negativos”, incluindo incerteza quanto às políticas do Governo, coloca em risco a redução do elevado rácio da dívida pública face ao Produto Interno Bruto (PIB).

Para o rácio da dívida pública face ao PIB, Bruxelas prevê que este atinja 131,1% este ano, desça para 131% em 2019 e volte a subir para 131,1% em 2020.

O rácio do défice do Estado face ao PIB deverá agravar-se de 1,9% este ano para 2,9% em 2019 e 3,1% em 2020.

No que diz respeito à taxa de desemprego, a Comissão Europeia prevê que esta desça de 10,7% este ano para 10,4% em 2019 e 10% em 2020, depois de se ter cifrado em 11,2% em 2017.

Em relação à taxa de inflação de Itália, Bruxelas prevê que esta acelere ligeiramente, ao passar de 1,3% este ano para 1,5% em 2019 e 1,4% em 2020, em linha com os preços mais elevados da energia.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)