O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, afirmou esta segunda-feira, no Porto, que “não faz sentido” os médicos operarem sozinhos nos hospitais onde decorre a greve dos enfermeiros em blocos operatórios, porque não se está a viver “nenhuma situação de catástrofe”. E disse não poder garantir que não haja doentes a morrer por causa da greve.

“A situação que foi levantada pelo presidente dos administradores hospitalares é uma situação que não faz sentido”, considerou o bastonário no final de uma reunião com os diretores clínicos de cinco hospitais onde decorre a greve.

No final do encontro, Miguel Guimarães quis “tranquilizar” os doentes com “situações mais complexas”, afirmando que “tudo está a ser feito pelos hospitais, pelo Serviço Nacional de Saúde, para que as suas situações sejam resolvidas o mais rapidamente possível, dentro daquilo que são os tempos clinicamente aceitáveis”.

Questionado sobre se poderia garantir que não morrem doentes nos blocos operatórios onde decorrem as cirurgias sem enfermeiros, Miguel Guimarães afirmou: “Não posso garantir isso”. Citado pelo Diário de Notícias, o bastonário da Ordem dos Médicos acrescentou: “Não posso garantir que alguns doentes não possam ser prejudicados e de forma complexa”.