Imigração

Manifestantes de extrema-direita tentam atacar Comissão Europeia na “Marcha contra Marraquexe”

1.934

Milhares de participantes na "Marcha contra Marraquexe", organizada por movimentos de extrema-direita, 'atacaram' a sede da Comissão Europeia em Bruxelas, sendo dispersados pela polícia.

JULIEN WARNAND/EPA

Milhares de participantes na “Marcha contra Marraquexe”, organizada por movimentos de extrema-direita, ‘atacaram’ este domingo a sede da Comissão Europeia em Bruxelas, sendo dispersados com gás lacrimogéneo pela polícia.

Os manifestantes, com o beneplácito da polícia, completamente invisível na área, desrespeitaram a autorização para uma manifestação ‘estática’ na rotunda de Schuman e desceram a Rue de la Loi até à sede da Comissão Europeia, atirando petardos contra aquela, e destruindo o que puderam à sua passagem.

Meia hora depois do início dos distúrbios, a polícia belga interveio com um canhão de água e, posteriormente, com gás lacrimogéneo para dispersar os mais de cinco milhares de participantes na marcha contra o Pacto Global para a Migração, adotado na segunda-feira na cidade marroquina de Marraquexe.

A marcha de hoje, tal como outra, a favor de Marraquexe, tinha sido proibida pelas autoridades de Bruxelas, mas, na sexta-feira à noite, o Conselho de Estado suspendeu a interdição.

Os participantes na “Marcha contra Marraquexe”, convocada pelas associações de direita e extrema-direita flamengas KVHV, NSV, Schild en Vrienden, Voorpost e Vlaams Belang Jongere, opõem-se ao Pacto Global para uma Migração Segura, Ordenada e Regular (GCM, na sigla em inglês), documento promovido e negociado sob os auspícios das Nações Unidas (ONU) e adotado formalmente na segunda-feira em Marraquexe.

A “Marcha contra Marraquexe” foi lançada em plena crise do Governo belga. No sábado, ministros nacionalistas flamengos da coligação governamental demitiram-se devido a divergências sobre o Pacto Global para a Migração.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Imigração

Os imigrantes são nossos

Patrícia Pacheco
142

As crianças crescem numa época onde ter smartphone ou ténis de marca é quase essencial para a integração no grupo, e a inversão das prioridades num orçamento reduzido é uma realidade destes imigrantes

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)