O Presidente da República deixou esta terça-feira uma mensagem contra o ódio e elogiou a comunidade ismaelita em Portugal pela sua integração, valores e ação social, nas comemorações dos 20 anos do Centro Ismaili de Lisboa.

“Sentimo-nos bem neste centro, sentimo-nos em casa, porque partilhamos os mesmos valores. E, neste tempo em que por todo o mundo sopram valores opostos, é tão importante a mensagem que aqui hoje [terça-feira, 18] queremos partilhar: a mensagem da recusa do ódio, da recusa da xenofobia, da recusa do chauvinismo, da recusa da intolerância, da recusa da incompreensão”, declarou o presidente. “É esse o significado da minha presença aqui”, acrescentou Marcelo Rebelo de Sousa.

Na sua intervenção, o chefe de Estado saudou esta comunidade muçulmana “pelo modo como soube integrar-se” e “afirmar sempre os valores da dignidade da pessoa, dos direitos humanos, do pluralismo, da diferença, da tolerância, da compreensão, da diversidade” em Portugal.

“Vindos de Goa, uns, de Moçambique, outros, com o processo de colonização aqui se fixaram, há décadas, trazendo consigo uma vida cheia de valores, cheia de pujança, cheia de vontade de contribuir para a construção de Portugal”, referiu.

O Presidente da República agradeceu-lhes pelo seu exemplo e considerou que o Centro Ismaili constitui “um símbolo, material e ao mesmo tempo imaterial, desse processo enriquecedor na sociedade portuguesa”.

Depois, elogiou também a comunidade ismaelita pelas suas “obras sociais comunitárias constantes, por todo o país, a olhar, sobretudo, para a juventude e para os idosos” destacando “a concessão de bolsas às crianças das vítimas dos fogos do ano passado”.

Segundo o chefe de Estado, é “de louvar e de agradecer” a presença dos ismaelitas pelo mundo, “uma presença de construção de paz, de desenvolvimento económico, social e cultural, de entendimento e de concórdia, por todos os continentes”.

Nesta cerimónia no Centro Ismaili, Marcelo Rebelo de Sousa plantou uma oliveira, que se juntou a outra plantada há 20 anos pelo então Presidente da República Jorge Sampaio, presente nestas comemorações.

“Querem as duas árvores dizer que, 20 anos depois, continuamos, uns e outros, fiéis aos nossos valores, unidos na afirmação desses valores e olhando para o futuro”, disse.

Além de Jorge Sampaio, nas comemorações dos 20 anos do Centro Ismaili de Lisboa estiveram também presentes o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, entre outros convidados.