Rep Democrática do Congo

Observadores elogiam alternância política na República Democrática do Congo “apesar de irregularidades”

Um grupo de observadores elogiou os resultados provisórios que apontam para uma vitória de um candidato da oposição na RDCongo "apesar das irregularidades", constituindo a "conquista da democracia".

Os resultados provisórios dão a vitória ao candidato da oposição Félix Tshisekedi nas eleições de 30 de dezembro

HUGH KINSELLA CUNNINGHAM/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O grupo de observadores Sinergia das Missões de Observação Cidadã das Eleições elogiou esta quinta-feira os resultados provisórios que apontam para uma vitória de um candidato da oposição na República Democrática do Congo (RDCongo), “apesar das irregularidades registadas”.

Num comunicado divulgado na página oficial na plataforma Twitter, a Symocel (sigla em francês) afirmou ter tomado nota e aceitado os resultados provisórios que dão a vitória ao candidato da oposição Félix Tshisekedi nas eleições de 30 de dezembro.

Enquanto aguarda o relatório final sobre o processo [eleitoral], a Symocel constata que, apesar das irregularidades registadas, esta etapa inaugura uma via de alternância política histórica esperada pelo povo congolês”, lê-se no documento.

Para o grupo de observadores, o resultado constitui uma base “para a consolidação da conquista da democracia e da paz” na RDCongo.

A Symocel assinalou ainda a boa receção dos resultados pela população.

Esta divulgação foi recebida com júbilo e calma em todo o território nacional, apesar dos incidentes registados nas cidades de Kikwit e Kinsangani”, consta no comunicado.

Durante o dia desta quinta-feira, pelo menos quatro pessoas — dois polícias e dois civis — morreram na cidade de Kikwit, uma área considerada bastião do candidato Martin Fayulu, rival de Tshisekedi.

Ainda assim, o grupo de observadores felicitou “todos os partidos envolvidos, incluindo a CENI [Comissão Eleitoral Nacional Independente], pelo envolvimento ativo” no processo e apelou para os candidatos derrotados “recorrerem às vias legais para fazer valer, eventualmente, os seus direitos”.

À população, a Symocel pede uma contribuição na “manutenção da paz, da coesão e da união nacional”.

Antes da divulgação dos resultados, a Symocel afirmara ter testemunhado 52 “irregularidades graves” nos 101 centros de voto que analisou.

Os resultados provisórios das eleições presidenciais de 30 de dezembro na República Democrática do Congo (RDCongo), divulgados na madrugada de hoje, deram a vitória ao candidato da oposição Félix Tshisekedi, que conquistou 38,57%.

O outro candidato da oposição, Martin Fayulu, ficou em segundo lugar com 34,8% e contestou de imediato os resultados, denunciando o que considera ser um “golpe eleitoral”.

O candidato apoiado pelo partido do Governo, Emmanuel Ramazani Shadary, considerado o delfim do Presidente do país, Joseph Kabila, — que estava impedido de se candidatar — ficou em terceiro lugar.

Com a contestação a assumir já contornos violentos e com quatro mortes registadas, Igreja Católica local e comunidade internacional unem-se no apelo para que uma eventual impugnação dos resultados seja feita “de forma pacífica” e de acordo com a Constituição e as leis eleitorais.

Filho do emblemático líder opositor e ex-primeiro ministro Étienne Tshisekedi, o vencedor das eleições, de 55 anos, demarcou-se, em meados de novembro, do bloco comum da oposição — encabeçado por Fayulu — para liderar a sua própria coligação.

O ainda Presidente governa desde 2001 um país rico em recursos naturais, mas marcado por crises políticas e por um conflito armado que causou milhões de deslocados.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
China

Vamos mesmo ignorar isto? /premium

Sebastião Bugalho

A Europa assumiu pela primeira vez que o expansionismo da China representa uma ameaça para o continente e os jornais portugueses, que tão competentemente cobriram a visita de Xi, não fazem perguntas?

China

Vamos mesmo ignorar isto? /premium

Sebastião Bugalho

A Europa assumiu pela primeira vez que o expansionismo da China representa uma ameaça para o continente e os jornais portugueses, que tão competentemente cobriram a visita de Xi, não fazem perguntas?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)