Tesla

Tesla desliga a ficha dos Model S e Model X 75D

A Tesla vai descontinuar as versões 75D dos seus Model S e Model X a partir da próxima 2ª feira, ficando limitada às versões 100D e P100D, as mais potentes e com maior autonomia. E 20.000€ mais caras.

Sem explicações adicionais, a Tesla informou que a partir de dia 14 de Janeiro, as versões com bateria de 75 kWh dos Model S e Model X deixam de estar disponíveis. Isto significa que, a partir de segunda-feira, os clientes podem somente optar entre as versões 100D e P100D dos topos de gama S e X.

Com o desaparecimento das versões mais acessíveis, os clientes vão ter de desembolsar, por exemplo em Portugal, mais 22.800€ na compra de um Model S 100D, em vez do 75D, ou mais 18.450€, caso estivessem inclinados para o agora retirado Model X 75D e tenham de optar pela versão 100D do SUV. Gastar, em média, mais 20.000€ também traz as suas vantagens, uma vez que autonomia sobe, de 490 para 632 km (ambos em NEDC), enquanto a velocidade máxima passa de 225 para 250 km/h e o 0-100 km/h reduz ligeiramente, de 4,4 para 4,3 segundos.

Sucede que há mais em comum do que seria de esperar entre as versões 75D e 100D, uma vez que ambas montam dois motores eléctricos de 262 cv, um à frente e outro atrás. Isto apesar do 75D apenas permitir um total conjugado de 333 cv, enquanto o 100D vai um pouco mais longe, até aos 423 cv.

Se a marca não avança com explicações, a causa desta decisão deverá ter a ver com a futura renovação dos Model S e X, sobretudo ao nível da bateria, uma vez que enquanto os topos de gama montam as células antigas, as 18650 (as cilíndricas com 18 mm de diâmetro e 65 mm de altura), o novo Model 3 já recorre às novas 2170 (21mm x 70 mm), que garantem mais 30% de densidade energética. Mas há outras vantagens, com as novas células a resistirem melhor a uma utilização a fundo – e daí que o Model 3 já ofereça Track Mode – e tenham mais facilidade em lidar com os futuros Megachargers (ou Superchargers V3), que deverão fornecer energia não aos actuais 120 kW, mas com uma potência de 250 a 300 kW, o que obriga a uma maior capacidade de dissipação de calor.

O recurso às novas células vai permitir aumentar a capacidade máxima da bateria, para o mesmo volume de pack, pelo que resta aguardar o que vem aí. Há quem já aposte em 80 kWh e 120 kWh, embora a Tesla já tenha afirmado que queria alargar as denominações do Model 3 aos S e X, designadamente Standard, Mid Range e Long Range. Mas, nesta fase, é ainda pura especulação.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)