Depois de uma publicação em que se mostrava ansiosa por partilhar o que a inspirou em Lisboa, Madonna publicou na terça-feira, no Instagram, um curto vídeo da sessão de gravação com a Orquestra de Batukadeiras de Portugal. “Uma oração no final de uma sessão de gravação mágica. Tenho muita sorte por ter estas mulheres maravilhosas comigo”, escreveu na rede social.

A cantora vai lançar este ano um novo álbum de originais que admitiu em diversas ocasiões ter sido inspirado por Portugal. Este terá sido pelo menos em parte gravado num estúdio em Paço de Arcos e sabe-se que já participaram neles vários artistas residentes no país, segundo a Blitz. O vídeo publicado esta semana no Instagram confirma que no novo disco houve também espaço para incorporar os sons da lusofonia.

O batuku é um género musical originário de Cabo Verde. A Orquestra de Batukadeiras foi criada na capital portuguesa por iniciativa de Dino d’Santiago, depois de este ter sido convidado pela associação lisboeta de mulheres cabo-verdianas para ser padrinho do encontro de batukadeiras de 2017. Santiago, que aparece num vídeo publicado no Instagram de Madonna a cantar uma música de Cesária Évora, conheceu a cantora no verão, no âmbito das festas privadas a que chamou “Lisboa Criola”, onde juntou o “mais tradicional” com o “mais contemporâneo”. “O que mais marcou a Madonna foram as Batukadeiras”, contou ao jornal cabo-verdiano A Nação.

Madonna não é estranha à música cabo-verdiana. Fã de longa data de Cesária Évora, conheceu a cantora de “Sodade” em 2004, depois de um concerto que esta deu em Londres. Cesária Évora chegou a ser convidada para atuar no casamento da norte-americana com Guy Richie, mas recusou a proposta. Depois da sua chegada a Lisboa, terá começado a contactar mais de perto com a música crioula.