Reciclagem

Quercus lança aplicação para ajudar a reciclar 50 tipos diferentes de resíduos

802

A aplicação de telemóvel indica os locais mais próximos para deixar eletrodomésticos ou outros resíduos específicos. A ideias é simplificar a tarefa de separação de resíduos e colocação em ecopontos.

YONHAP/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Encontrar o destino a dar a cerca de 50 tipos de resíduos diferentes é o objetivo de uma aplicação que é lançada este sábado e que indica os locais mais próximos para deixar eletrodomésticos ou outros resíduos específicos.

A aplicação que “vai ajudar Portugal a reciclar mais e melhor” é lançada pela associação ambientalista Quercus, que em comunicado explica que a ferramenta pode ser facilmente consultada e que vai simplificar a tarefa de separação de resíduos e colocação em ecopontos.

Chamada Wasteapp, a ferramenta, desenvolvida em parceria com a Fundação Vodafone, pretende refletir o esforço da Quercus em melhorar os níveis de reciclagem combatendo o “suposto desinteresse” dos portugueses que “mais não é do que desconhecimento”, diz Cármen Lima, coordenadora para os resíduos da Quercus, citada no comunicado.

Diz-se ainda no documento que na aplicação basta pesquisar o se quer deitar fora e encontrar o local mais próximo de entrega. Permite também esclarecer dúvidas sobre o que pode ou não colocar no ecoponto.

A Quercus lembra que todos os dias cada português produz uma média de 1,32 quilos de lixo, contribuindo para uma produção anual de 4,75 milhões de toneladas de resíduos urbanos.

Apenas 16,5% do total de resíduos produzidos em Portugal são encaminhados para os ecopontos, acrescenta a associação, dizendo que a realidade portuguesa atual é uma necessidade de tratar 83,5% de resíduos que estão todos misturados.

Tendo em conta que a meta de reciclagem para 2022 é de reciclar 50% do lixo, e que atualmente a reciclagem está na ordem dos 38%, a tarefa “é quase impossível”, diz a Quercus no comunicado.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves
248

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)