Rádio Observador

CDS-PP

CDS exige ao Governo solução para eventual rutura entre ADSE e privados

Os centristas exigem que o executivo encontre "um mecanismo negocial, definindo tabelas de preços" para que a rutura entre os prestadores de serviços médicos privados e a ADSE não aconteça.

A deputada Ana Rita Bessa considera que se a rutura se confirmar "é da total responsabilidade do Governo" e alertou para a que, nesse cenário, o SNS "será sobrecarregado"

MIGUEL A. LOPES/LUSA

O CDS-PP exigiu esta quinta-feira ao Governo que encontre uma solução para ultrapassar uma eventual rutura entre os prestadores de serviços médicos privados e a ADSE e alertou para uma possível sobrecarga no Serviço Nacional de Saúde.

“É uma situação muito preocupante e gostaríamos que ficasse claro que está nas mãos do Governo, que tutela a ADSE, encontrar um mecanismo negocial, definindo tabelas de preços, por forma a que esta rutura não aconteça”, afirmou a deputada centrista Ana Rita Bessa aos jornalistas no parlamento, em Lisboa.

A edição on-line do semanário Expresso noticiou que os grupos privados estão a suspender as convenções com o subsistema de saúde dos funcionários públicos, ou ADSE.

A deputada centrista desafiou o executivo do PS a clarificar posições.

“Ou negoceia uma tabela de preços previsível e estável, que permita a continuação do regime convencionado” ou então assume que, “por puro preconceito ideológico”, quer juntar-se ao PCP e BE para “acabar com a ADSE, que é um sistema totalmente financiado pelos seus beneficiários”.

Se a rutura se confirmar, acrescentou, “é da total responsabilidade do Governo” que “os beneficiários, e seus financiadores, ficarão sem acesso aos médicos, consultas nos hospitais privados”.

Ana Rita Bessa alertou ainda que, nesse cenário, o SNS “será sobrecarregado”, dado que a ADSE tem 1,2 milhões de beneficiários, e necessitaria de um reforço orçamental de 300 milhões de euros para 2019.

Segundo a notícia do Expresso, os tratamentos já marcados serão faturados ao abrigo das regras atuais mas, a partir de abril os restantes utentes terão de pagar a 100% as consultas ou cirurgias e pedir o reembolso à ADSE.

Em comunicado, a ADSE informou, ainda na quarta-feira, não ter recebido informação da parte dos grupos privados.

Existem prazos contratuais que constam das convenções que têm que ser cumpridos quando se procede à denuncia de uma convenção. A ADSE não recebeu, formalmente, de nenhum destes grupos a comunicação da denúncia ou resolução das convenções em vigor”, refere a ADSE no mesmo comunicado.

No entanto, acrescenta que “se esta denúncia vier a acontecer a ADSE acautelará todas as situações de beneficiários que se encontram em tratamento, ou com atos médico ou cirúrgicos já agendados nestes prestadores”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
CDS-PP

Vai lamber sabão

Luís Gagliardini Graça
525

Exaltamos os espíritos mais irrequietos a agregarem, a renovarem votos de amor à pátria, ao próximo e ao bem-comum, porque só assim nos reergueremos das cinzas das sondagens e do desnorte.

Combustível

Os motoristas e o mercado

Jose Pedro Anacoreta Correira

Quando o Governo não consegue instrumentalizar politicamente os sindicatos, passa ao ataque. A luta e defesa dos trabalhadores é só para trabalhadores do Estado e filiados na CGTP.

PSD

Rui Rio precisa do eleitorado de direita /premium

João Marques de Almeida

O eleitorado de direita deve obrigar Rui Rio a comprometer-se que não ajudará o futuro governo socialista a avançar com a regionalização e a enfraquecer o Ministério Público. No mínimo, isto.

Educação

Cheques de Ensino

Diogo Fernandes Sousa

Com os cheques de ensino se um pai se enganasse afetaria apenas o seu filho. Agora, se um político se engana no Ministério da Educação, como sucede regularmente, afeta toda uma geração de estudantes

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)