É uma “oportunidade para investidores”, garante a consultora imobiliária Keller Williams Portugal (KW). Há um apartamento de três assoalhadas, com dois quartos e duas casas de banho, à venda por 170 mil euros na Estrela, em Lisboa. Mas o negócio traz um bónus: o apartamento tem acesso exclusivo a uma gruta com 150 metros quadrados, “escavada sob a colina”. Ninguém sabe quem a construiu, nem quando. Mas, em conversa com o Observador, o agente imobiliário Miguel Mello afirma que “tem humidade, mas pouca”. Com obras, “dá para dormir lá”, acrescenta.

O apartamento com 70 metros quadrados de área útil fica na Rua Maria Pia, em Campo de Ourique, nas vizinhanças do Cemitério dos Prazeres. Os atuais proprietários adquiriram a casa “há mais de 20 anos”, explica Miguel Mello, e por essa altura a gruta já estava lá. Nem sequer os atuais donos do apartamento, que já não moram lá e por isso é que o puseram à venda, sabem quem construiu o acesso à dita gruta, que não está discriminada na caderneta predial da casa. “Acharam-lhe graça” e “usavam-na para pintar”, uma espécie de ateliê de artes, conta o consultor ao Observador.

A gruta fica por baixo do cemitério e não está em condições de ser habitada, mas pode passar a estar depois de se obras. Por enquanto não tem luz, nem gás ou água canalizada. Mas as fotografias mostram uma casa de banho embutida na rocha — em cima do bidé há um grande bloco rochoso — e uma sala improvisada com umas peças de metal enferrujado a servir de móveis. Ao fundo vê-se a porta que dá acesso à gruta para quem vem do apartamento. Aliás, essa é mesmo a única forma de lá entrar, garante Miguel Mello.

De acordo com o consultor imobiliário, “já há vários pedidos de pessoas que querem visitar o local”, algo que começará a ser feito “em breve”. O preço, explica, não foi aumentado (nem diminuído) em função da existência da gruta. Foi acordado entre o consultor imobiliário e os clientes, que são portugueses, tendo em conta que o apartamento é “para recuperar” e precisa de “muitas obras”: “Precisa de obras de remodelação total”, sublinhou Miguel Mello.

Entretanto, as fotografias disponibilizadas pela KW Portugal na página do anúncio foram alteradas. Agora só estão disponibilizadas aquelas que mostram o interior do apartamento — as que mostravam a gruta foram eliminadas. Mas o Observador guardou-as a tempo, por isso pode espreitar este insólito anexo na fotogaleria no topo do artigo.