Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Se nos últimos dias tem reparado que já não sai de casa com aquele casaco mais grosso ou com o guarda-chuva, fique a saber que, pelo menos até ao final da semana, vai continuar assim. Apesar de não ser um cenário muito anormal, as temperaturas em Portugal e no resto da Europa estão acima da média que se costuma verificar nesta época do ano. Na Alemanha, por exemplo, o fim de semana passou de uma temperatura mínima abaixo de zero graus para valores máximos entre os 11ºC e os 12ºC.

Por cá, está mais calor, mas apenas um ou dois graus acima do normal. Tudo porque, segundo Vânia Lopes, meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), “um anticiclone está a bloquear a passagem de perturbações”. Isto significa que o facto de não estar a chover ou fazer muito frio é efeito de uma crista anti-ciclónica, isto é, uma região alongada de altas pressões atmosféricas onde o ar fica mais seco, há menos humidade e, portanto, menos formação de nuvens que possam dar origem à chuva.

De acordo com o El Español, o que pode ser menos normal é o facto de este fenómeno se estender a tantos países europeus: da Espanha à Noruega e de Portugal à Rússia, onde os invernos são mais rigorosos. Portugal e Espanha vão, no entanto, ser afetados de forma periférica: os dias serão relativamente mais quentes, mas as noites continuam frias. Nos restantes países, como é o caso do Reino Unido, as temperaturas máximas chegaram aos 14ºC.

Esta sexta-feira em Portugal Continental, o Porto vai continuar com 21ºC de máxima e céu nublado, mas no domingo já estão previstos alguns aguaceiros. Já em Lisboa, as máximas vão chegar aos 19ºC e em Évora aos 21ºC. Na Guarda, os termómetros vão atingir os 15ºC de máxima e também deverá chover no domingo, o que significa que esta “primavera antecipada” é sol de pouca dura.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR