Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que a Venezuela pediu ajuda humanitária às Nações Unidas (ONU) para conseguir comprar medicamentos e alimentos, esta sexta-feira. Maduro sublinhou no mesmo discurso, contudo, que os venezuelanos “não são mendigos” e por isso rejeita os 20 milhões de dólares de ajuda humanitária oferecida pelos Estados Unidos e anunciada por Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional e autoproclamado presidente interino do país.

“Nós temos uma coisa que se chama assistência técnica humanitária com as Nações Unidas e eu pedi-lhes, de maneira especial, que nos ajudem a comprar os medicamentos que nos são bloqueados pelo império norte-americano e eles disseram que sim”, anunciou Maduro, num ato comemorativo do Governo venezuelano em Bolívar, estado do sul da Venezuela. Segundo a agência EFE, Maduro garantiu perante a audiência que está “à procura de novos caminhos” junto da ONU.

Sobre os cerca de 20 milhões de dólares em ajuda humanitária oferecida pelo Governo dos Estados Unidos e anunciada por Guaidó, que está na fronteira na Colômbia à espera de autorização para entrar, Maduro voltou a rejeitar essa oferta, que classificou como um “show” e uma “armadilha para enganar pessoas”.

Em vez disso, garantiu, a Venezuela recebeu um carregamento com 933 toneladas de medicamentos vindos da China, Rússia e Cuba esta quinta-feira. Essa ajuda, contudo, foi paga: “Pagámos com o nosso dinheiro porque não somos mendigos de ninguém”, sentenciou Maduro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR