Desemprego

Desempregados inscritos diminuem 15,6% em janeiro para 350,8 mil

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego foi de 350,8 mil em janeiro, menos 15,6% em comparação com o mesmo mês do ano passado, mas mais 3,5% comparando com dezembro.

JOAO RELVAS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego foi de 350,8 mil em janeiro, menos 15,6% em comparação com o mesmo mês do ano passado, mas mais 3,5% comparando com dezembro, anunciou esta terça-feira o IEFP.

De acordo com os dados mensais do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), havia em janeiro menos 64,8 mil pessoas desempregadas do que há um ano, mas mais 11,7 mil relativamente ao mês anterior.

A nível regional, o desemprego registado diminuiu em todas as regiões do país em termos homólogos, destacando-se, com as descidas mais elevadas as regiões Norte (18,6%) e Lisboa Vale do Tejo (16,1%).

Por atividade económica, as descidas homólogas do desemprego mais acentuadas verificaram-se na construção (26%), na fabricação de têxteis (22,4%), na indústria da madeira e da cortiça (21,4%) e fabricação de mobiliário, reparação de máquinas e equipamentos e outras indústrias transformadoras (21%).

Nos serviços de emprego de todo o país, as ofertas de emprego por satisfazer totalizavam 14.293 no final de janeiro, menos 2.673 (15,8%) do que há um ano e mais 1.977 (16,1%) face ao mês anterior.

Ao longo do mês, inscreveram-se nos serviços de emprego 54.968 desempregados, número inferior em 0,9% ao observado no mesmo mês de 2018 e superior em 34,8% (mais 14.177) comparando com o do mês anterior.

As ofertas de emprego recebidas ao longo deste mês caíram 5,9% para em termos homólogos para 12.515, tendo mais do que duplicado face a dezembro.

As atividades económicas com maior expressão nas ofertas de emprego recebidas em janeiro no continente foram as atividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio (29,1%), seguidas da construção (10,2%) e alojamento, restauração e similares (9,4%).

Os dados do IEFP mostram ainda que o desemprego jovem caiu 20% (menos 9,4 mil) na comparação homóloga, enquanto nos desempregados de longa duração a redução foi de 23% (menos 44,9 mil pessoas).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)