Depois de muitas acusações que não geraram qualquer ação legal, o cantor americano R. Kelly foi detido na sexta-feira e formalmente acusado de 10 crimes de abuso sexual, que terão sido cometidos entre 1998 e 2010. As alegadas vítimas são quatro mulheres. O artista esteve em tribunal este sábado e o juiz estabeleceu a fiança em 1 milhão de dólares, perto de 900 mil euros. As medidas impostas incluem ainda a entrega do passaporte e a proibição de contacto com qualquer menor de 18 anos.

O juiz, do condado de County, em Chicago, estabeleceu um valor de fiança de 250 mil dólares por cada vítima e Robert Kelly (nome de nascimento do cantor) terá de pagar 100 mil dólares de imediato para poder sair em liberdade. A acusação, como revela a CNN, apresentou mais detalhes sobre o caso. Na altura dos alegados crimes, duas das vítimas tinhas 16 anos, uma delas entre 14 e 16 e a quarta tinha 24 anos. Kim Foxx foi a advogada que revelou mais pormenores. A acusação escalrece também que R. Kelly terá feito ameaças físicas e usado a força.

Já na sexta-feira, o advogado de defesa de R. Kelly afirmou a inocência do cantor e disse que Kim Foxx “sucumbiu à pressão do público”. “Acho que todas as mulheres estão a mentir”, defendeu. “O Senhor Kelly é forte, ele tem muito apoio e vai ser ilibado de todas estas acusações, uma por uma, se assim tiver de ser”, continuou.

R. Kelly entregou-se às autoridades na sexta-feira e na altura não fez qualquer comentário.