Rádio Observador

Caso Lava Jato

Advogado tentou impedir fuga de ex-ministro de Michel Temer procurado polícia

Ex-ministro de Temer tinha acabado de aterrar no Rio de Janeiro quando foi informado pelo passageiro do lado que a polícia queria prendê-lo. Oiça a descrição do advogado que tentou impedir a sua fuga.

AFP/Getty Images

Na última quinta-feira, dia 21 de março de 2019, Wellington Moreira Franco, antigo ministro de Michel Temer, estava calmamente sentado a bordo do voo 066215 da companhia aérea brasileira Avianca. A seu lado ia um advogado chamado Renato Ventura. Os dois não se conheciam.

O voo partiu de Brasília rumo ao Rio de Janeiro (mais especificamente rumo ao Aeroporto Internacional Tom Jobim). Quando o avião aterrou, Renato Ventura abriu a rede social WhatsApp no seu telefone, entrou numa conversa de grupo que tem com amigos sobre “política e futebol” e deparou-se com uma notícia surpreendente: o antigo presidente Temer e o seu ministro Moreira Franco “tinham ido presos”. Sem ter ainda reparado quem era o seu companheiro de viagem, o advogado virou-se para o “senhor ao lado” e contou-lhe a notícia. Também pela reação, apercebeu-se de que não a tinha contado a qualquer um: ao lado estava precisamente o antigo ministro de Minas e Energia de Temer, Moreira Franco, um dos dois políticos que teriam sido supostamente detidos.

A notícia não era exata: obviamente, por essa altura a polícia brasileira ainda não tinha efetuado a detenção do antigo ministro de Temer, caso contrário Moreira Franco não estaria descontraidamente sentado ao lado de Renato Ventura no avião da Avianca.

Discretamente, Renato fotografou o antigo ministro de Temer, que começou a falar ao telefone, presumivelmente com os seus advogados. Como Moreira Franco viajava do lado da janela, o advogado ainda tentou retê-lo no lugar e não permitir a passagem, mas acabou por ser empurrado e ver o político “sair correndo” rumo à saída.

Renato Ventura foi atrás de Moreira Franco. Tentou “ligar para a Polícia Federal e para a Polícia Militar” a avisar que o antigo ministro de Temer “estava no meu voo e ia sair”. Moreira Franco saiu do aeroporto e encaminhou-se para o exterior, onde um carro da marca Volvo o aguardava. O advogado garante que foi atrás dele e que se colocou na faixa de peões à frente do carro, para impedir que o político fugisse. O antigo ministro de Michel Temer e o condutor, contudo, contornaram-no e arrancaram. Poucos minutos depois, seriam intercetados pela Polícia Federal, que deteve por fim Moreira Franco.

A história, inusitada, foi contada na íntegra pelo advogado em questão e companheiro de voo de Moreira Franco à rádio brasileira BandNews FM — e já foi citada pelo jornal Folha de São Paulo. O melhor talvez seja mesmo ouvir, em discurso direto:

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: gcorreia@observador.pt
Cooperação económica

De braço dado com Angola

José Manuel Silva

O momento político angolano é propício à criação de laços baseados na reciprocidade e na igualdade de tratamento, sem complexos de nenhuma espécie. A história foi o que foi, o presente está em curso.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)