A Marinha vai abrir um processo de averiguações para investigar as circunstâncias em que um militar deste ramo foi encontrado ferido esta sexta-feira com arma de fogo na Base Naval de Lisboa, avança um comunicado enviado à Lusa.

“Esta noite, cerca das 21:00, um militar da Marinha, que se encontrava em serviço na fragata ‘Corte-Real’, atracada na Base Naval de Lisboa, foi encontrado inanimado com ferimento na cabeça após disparo de arma do serviço, alegadamente realizado pelo próprio”, refere a Marinha.

O militar foi assistido pelo INEM a bordo e encaminhado, em estado grave, para uma unidade hospitalar, onde se encontra nos cuidados intensivos.

Segundo o documento, “foram de imediato acionados todos os mecanismos de emergência médica, informada a família, à qual está a ser disponibilizado apoio psicológico, e comunicado à Polícia Judiciária Militar, que tomou conta da ocorrência”.

A Marinha refere que irá desencadear um processo de averiguações para apurar “todas as circunstâncias” da situação.

O militar em causa tem 31 anos, ingressou na Marinha em 2006 e é atualmente marinheiro, da classe de Técnicos de Armamento.