A companhia aérea norte-americana American Airlines vai prolongar até junho a interdição de voos com aparelhos Boeing 737 MAX, o que afetará cerca de 90 voos diários, anunciou este domingo a empresa.

Em comunicado, a maior companhia área dos Estados Unidos explica que a interdição é prolongada até 05 de junho para “dar mais garantias aos clientes” e evitar “transtornos de última hora”.

Os aviões 737 MAX da empresa Boeing continuam interditos nos Estados Unidos e em vários outros países por causa de dois acidentes recentes com estes aparelhos.

A 10 de março, um Boeing 737 Max 8 Jet da Ethiopian Airlines despenhou-se pouco depois de ter descolado de Adis Abeba, capital da Etiópia, matando todas as 157 pessoas a bordo. No ano passado, a queda de outro aparelho da Lion Air, na Indonésia, provocou 189 mortos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Não são conhecidas ainda as causas dos acidentes, mas os relatos preliminares indicam que existiram falhas no ‘software’ do controlo de voo e na leitura de sensores, que fizeram disparar erradamente um sistema que empurrou o nariz do avião para baixo. Os pilotos de ambos os aviões tentaram em vão retomar o controlo do sistema automatizado.

Na semana passada, a Boeing anunciou que vai reduzir a produção do 737 MAX, de forma a travar o crescente risco financeiro que enfrenta, já que os voos da sua aeronave mais vendida estão proibidos um pouco por todo o mundo.